segunda-feira, 23 de abril de 2018

Aguinaldo sobre arquivamento de investigação na Lava Jato e sentencia: “Sempre tive a consciência tranquila”

Líder do PP na Câmara, o deputado federal Aguinaldo Ribeiro disse, em entrevista sexta-feira (20), à rádio POP FM, que recebeu com a consciência tranquila a decisão do ministro do STF, Edson Fachin, de arquivar uma investigação que citava seu nome em um processo da Lava Jato, justamente por falta de provas. Aguinaldo ressaltou que a denúncia foi feita por um delator ainda em 2015 ao Ministério Público e, passados três anos, nada foi provado, até porque nada do que o suspeito confessou encontrou respaldo na veracidade dos acontecimentos.
“Esse processo foi uma lista que saiu em 2015, estavam lá os deputados. Em um determinado momento chegou um delator, fez uma delação e está lá e o processo se arrasta há três anos e graça a Deus o próprio Ministério público pediu o arquivamento e eu recebo essa decisão com tranquilidade, com a consciência tranquila das mesmas coisas que eu já enfrentei na minha vida. Já enfrentei denúncias de adversários e graças a Deus essas coisas quando não tem consistência chega o momento da verdade que derruba”, disse.
Apesar da tranquilidade com que recebeu a notícia, o parlamentar lamentou o tamanho dos espaços dados na mídia para delações, que ganham manchetes nos principais jornais, mas que quando há um arquivamento, como foi o caso dessa delação envolvendo seu nome, esses mesmos meios de comunicação emitem apenas uma notinha.
“Mas o problema maior hoje no Brasil, e não é só de político não, é que você é exposto com alguém dizendo alguma coisa sobre você, sai na Folha de São Paulo, depois que faz a investigação e depois que você é inocentado sai apenas uma notinha. E mesmo que você diga divulga aí e por isso existe a máxima de que se divulga mais notícia ruim do que notícia boa”, arrematou.

Em clima de campanha, Lígia manda recado para Ricardo na TV: "Alguém leal assim todo mundo quer".

Se restava mais alguma dúvida sobre a pré-candidatura de Lígia Feliciano (PDT) nas eleições desse ano, ela já não existe mais. O programa de televisão apresentado pela vice-governadora foi ao ar neste sábado (22) com uma nova abertura, em clima de pré-campanha, exaltando a imagem de Lígia e com recados diretos ao governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB).
A abertura do programa reúne todas as características de um marketing pré-eleitoral e mostra Lígia  abraçando pessoas humildes, caminhando na praia e reunida com a família na sala de casa. Mas o que chamou mais a atenção das pessoas foi a música de abertura, que lembra um jingle de campanha, destaca várias qualidades que seriam inerentes à Lígia e ainda manda um recado claro ao governador do Estado: “Alguém leal assim todo mundo quer”, diz o jingle.
Na mensagem que segue o jingle e as imagens de abertura, Lígia critica a velha política e avisa que vai colocar o pé na estrada no Estado todo e fala em “pontes para soluções do povo da Paraíba”. Sobre o atual momento do Estado, Lígia diz que “basta ser justo para reconhecer os avanços da nossa Paraíba”, mas diz que “quando se olha para o futuro, percebe-se o tanto que ainda falta para fazer no Estado”.
Lígia ainda diz que “é paraibana, guerreira e otimista de carteirinha”, e afirma que não sabe pensar pequeno e que ainda não nasceu uma crise para derrubá-la. Ela avisa que quer cuidar “das pessoas e da nossa terra”. Quem também aparece  no vídeo é o deputado Damião Feliciano cantando “parabéns para você”, felicitando a esposa por ocasião do seu aniversário, comemorado no último sábado (21), dia de Tiradentes. 
Se você ainda tem alguma dúvida de que Lígia Feliciano será candidata, assista ao vídeo abaixo. Resta saber qual será a reação política do governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB).

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Filha de Tatiana Medeiros que é modelo e mora em Jacarta é eleita Miss Paraíba 2018

filhadetatiana
A modelo Ana Carla Medeiros, filha da gerente da Terceira Regional de Saúde, médica Tatiana Medeiros, foi eleita ontem em João Pessoa Miss Paraíba Universo 2018 e agora concorrerá ao título nacional no Rio de Janeiro, em 26 de maio.
Ana Carla Medeiros tem apenas 21 anos de idade e além de modelo é DJ, Youtuber e fala três idiomas fluentemente. Contratada da Ming Management, ela atualmente mora em Jacarta, capital da Indonésia.
Em sua rede social, Tatiana Medeiros comemorou com a foto dela e dos filhos ao lado de Ana Carla sob a legenda “Nossa Miss e da Paraíba também”.

O CONCURSO

O Miss Paraíba é um tradicional concurso de beleza de nível estadual que visa eleger a melhor candidata paraibana para a disputa nacional de Miss Brasil, válido para o Miss Universo.
O concurso é realizado anualmente na capital do Estado e apesar de nunca ter possuído uma vitória, a Paraíba já alcançou posições de destaque no certame nacional. O mais perto que chegou da coroa brasileira foi em 1981 com Virgínia Gomes. Na época, a paraibana alcançou a quarta colocação.
Hoje, a disputa estadual é coordenada por Miguel Braga, mesmo coordenador do Miss Pernambuco.

MP e Polícia suspeitam que Amadeu tentou obstruir a apuração de crimes na FPF

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) e a Polícia Civil, entidades que encabeçam a investigação contra dirigentes da Federação Paraibana de Futebol (FPF), dirigentes de clubes do futebol paraibano e árbitros na Operação Cartola, estão agora focados nos documentos das prestações de contas de 2015 e 2016. Os investigadores não têm dúvidas da existência de um esquema de corrupção sofisticado na FPF.
Os documentos, que são públicos, estão causando dor de cabeça nos peritos da Polícia Civil e do MPPB, que não conseguem entender o que está sendo detalhado nos mesmos, que possuem alto grau de ilegibilidade. As autoridades investigam a hipótese de que a ilegibilidade não é fruto de incompetência ou falha dos responsáveis pela elaboração dos documentos, mas sim de uma conduta dolosa, visando obstruir uma apuração precisa.
A aprovação das contas de 2015 e 2016, aliás, era um dos argumentos do presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, e da alta cúpula da entidade que supostamente comprovariam a inocência dos mesmos com relação à acusação de enriquecimento ilícito.
Com o sigilo bancário das contas da FPF quebrados e os documentos apreendidos na sede da federação, além das sedes e residências de dirigentes de clubes investigados, a Polícia Civil começa a ter um panorama claro da dimensão do esquema e do grau de participação de cada envolvido. Crimes de falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e manipulação de resultados também estão sendo investigados.
De acordo com as testemunhas e provas coletadas, a hipótese da participação, conhecimento e consentimento dos dirigentes da FPF nos esquemas de manipulação de jogos tem crescido, segundo apurou a reportagem junto a fontes da Polícia.

MP denuncia secretários por matança de cães em Igaracy; Laudo IPC mostrou que animais de rua foram mortos de “forma violenta” e com “lesões traumáticas”

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) apresentou denúncia nesta semana contra os servidores públicos acusados de matar de forma violenta 31 animais de rua na cidade de Igaracy, no Sertão. A representação protocolada no 2ª Vara Mista da Comarca de Piancó, nesta terça-feira (17), pede a condenação dos secretários de Saúde do Município, José Carlos Maia, e Infraestrutura, Francisco Edilson Lacerda. O primeiro, inclusive, foi exonerado pelo prefeito Lídio Carneiro (PTB) após a matança dos cães ganhar repercussão nacional. A denúncia foi protocolada pelo promotor José Leonardo Clementino Pinto.
Os suspeitos foram denunciados com base nas leis que tratam de maus tratos (Art. 32 da lei 9.605/1998), crime continuado (Art. 71 do Código Penal), poluição ambiental (Art. 54 da Lei 9.605/1998) e induzir a erro o juiz ou perito (Art. 347 do Código Penal). Na peça, o promotor faz uma descrição detalhada da irregularidade que teria sido cometida pelos servidores públicos. A morte cruel dos 31 cães ocorreu no dia 6 de março. A providência, segundo os acusados, foi tomada depois de cobranças feitas por vereadores do município, incomodados com os animais de rua.
No primeiro momento, o secretário José Carlos Maia informou que os animais foram mortos por que estavam doentes e que foram usadas injeções letais. O laudo do Instituto de Polícia Científica (IPC), divulgado recentemente, no entanto, apontou que as mortes ocorreram de forma violenta, por meio de lesões traumáticas. “O laudo mostra a abundância das manchas de sangue que havia no local, comprovando a existência de traumas nesses animais, indo de encontro ao que se espera do cumprimento dos protocolos regulamentares de eutanásia em animal”, explicou a perita Michelle Nóbrega.
Na denúncia contra os servidores o promotor pede ao magistrado responsável pela comarca que sejam tiradas cópias do inquérito policial e encaminhadas ao procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico da Nóbrega, para que sejam apuradas possíveis irregularidades na área penal pelo prefeito Lídio Carneiro. A mudança da esfera, no caso do prefeito, se deve ao fato de ele possuir foro privilegiado, por ser prefeito da cidade. Pelo menos dez pessoas foram arroladas como testemunhas na denúncia protocolada pelo Ministério Público.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Bruno dá receita para driblar animosidades na família Cunha Lima na briga, ao lado de Pedro, por vaga na Câmara: “Respeito”

Respeito. É essa a receita dada pelo deputado estadual Bruno Cunha Lima, hoje filiado ao Solidariedade, para driblar possíveis animosidades no clã Cunha Lima, na corrida eleitoral desse ano.
Isso acontece porque o parlamentar desistiu da reeleição para encarar a batalha por uma vaga na Câmara Federal, local onde o primeiro, Pedro Cunha Lima (PSDB), já tem mandato.
Bruno, assim como o avô, Ivandro Cunha Lima, tenta realizar o feito de emplacar ao lado de outro parente a cadeira na Câmara, em uma mesma eleição. Como são 12 vagas, há espaços para todos. (com Henrique Lima)

Maranhão diz que candidatura de Lucélio foi “decidida às escuras” e por “objetivos particulares”

Exaltar a pré-candidatura do partido e atacar a escolha de Lucélio Cartaxo (PV) como candidato da oposição. É assim que o MDB da Paraíba, presidido pelo senador José Maranhão (MDB), se posiciona sobre as recentes movimentações político-eleitorais das oposições. De acordo com o senador, que não poupou críticas a algumas siglas do grupo oposicionista, a candidatura do irmão do prefeito Luciano Cartaxo foi decidida às escuras.
“Assim, fica muito claro para todos que fazemos a oposição, que tudo de fato foi decidido às escuras da maioria, com objetivos muito particulares. Por fim, reiteramos nosso compromisso com o povo da Paraíba de mais uma vez não nos curvarmos diante de imposições, mas lutarmos de maneira limpa e em prol do bem coletivo”, afirmou José Maranhão. De acordo com o Diretório Estadual do partido, em 2018 o MDB renovou seu compromisso com os ideais primários, e se baseando neles, afirmou não poder apoiar uma chapa totalmente imposta e criada nos bastidores políticos.
O MDB na Paraíba ainda deixa claro que está aberto a diálogos com quaisquer legendas, além de ressaltar que outros partidos também estão chateados com a definição de Lucélio como candidato. Aguinaldo Ribeiro, do PP, declarou desconhecer definição da chapa de oposição, com Lucélio Cartaxo (PV) à frente. Já o PR, do deputado federal Wellington Roberto, lamentou ter sido excluído da reunião que definiu o nome da chapa dita de oposição.

PP está arrumando as malas e pode entregar cargos em JP e CG para fechar com JA

São fortes as declarações da deputada estadual Daniella Ribeiro (Progressista) contrariando a decisão de um possível apoio à candidatura de Lucélio Cartaxo (PV), ao Governo da Paraíba, que pode ter como vice a primeira dama do município de Campina Grande, a médica Micheline Rodrigues (PSDB). Não se limitando somente à formação de uma possível chapa ou decisão final de composição, Daniella parte também para cima do prefeito Romero Rodrigues, de forma agressiva e decidida.
Como tem sido noticiado na imprensa que já existiria uma reunião agendada de Daniella com o governador Ricardo Coutinho (PSB), ou pelo menos existe a intenção do governador de expansão partidária na composição política da chapa de João Azevedo (PSB), tudo indica que o PP pode vir a fechar com Ricardo que já deve estar separando vários cargos e secretarias importantes no Governo do Estado.
Acredito que, com a possível decisão do Clã Ribeiro, o PP deva entregar todos os cargos e secretarias nas prefeituras de João Pessoa e Campina Grande, além do esvaziamento do gabinete do vice-prefeito campinense, Enivaldo Ribeiro. Pelo que Campina Grande conhece de Enivaldo, sua história e sua seriedade, se o PP passar a ser oposição ao próprio governo que ele é vice, o maior líder dos progressistas não deve admitir ocupação de cargos indicados pelo partido na prefeitura campinense.
O PP pode estar dando a Luciano Cartaxo e a Romero Rodrigues a oportunidade de fazerem uma mini reforma administrativa, com a disponibilidade de muitos e valiosos cargos, para possíveis novas composições partidárias. (com ResumoPB)

Psicólogo é preso após prefeito denunciar falsos atestados médicos em São José de Caiana

Prefeito Zé Leite (foto) denunciou o psicólogo após atestados médicos falso
Um Psicólogo, identificado pelo nome de Deilton Aires Batista de 37 anos, natural de Patú no Rio Grande do Norte, foi preso através de um Mandado de Prisão Preventiva, expedido pelo Juiz Titular da Comarca de Itaporanga (PB), Antônio Eugênio, a pedido do Delegado Gleiberson Fernandes da 17ª Delegacia Seccional de Polícia Civil, sediada na cidade de Itaporanga, Sertão da Paraíba.
Segundo o Delegado, tudo começou após a denúncia do Prefeito do município de São José de Caiana (PB), José Leite Sobrinho, que suspeitou de dois atestados médicos apresentados pelo psicólogo, alegando não poder trabalhar em dois plantões já convocados. A partir daí, da Polícia Civil começou as investigações, prendendo o acusado na manhã desta quarta-feira (18), quando ele chegava para se apresentar na prefeitura caianenses.
“O Prefeito registrou o caso na Delegacia, nesta segunda-feira, dia 16, e através da agilidade de toda a equipe, do Ministério Público e do Juiz, conseguimos prender o acusado nesta manhã”, comenta o Delegado. Gleiberson falou que na delegacia, o psicólogo revelou possuir certificados de mestrado, e outras certificações falsificadas, e por isso irá consultar as instituições e orgãos que constam nos certificados, como também onde ele prestou serviço.
Deilton que foi candidato a vereador na cidade de Belém Do Brejo Do Cruz (PB), professor de faculdades na cidade de Patos e já atuou em várias cidades do sertão, teria sido aprovado no Processo Seletivo do Município de São José de Caiana para o preenchimento da vaga de psicólogo, porém teria apresentado os atestados médicos no intuito de não comparecer ao ambiente de trabalho.
Audacioso, o Prefeito Zé Leite ao ver as assinaturas dos atestados, com o nome do médico José Afonso Gayoso Filho (esposo da prefeita do município de Santa Terezinha-PB), entrou em contato com o mesmo, indagando sobre a autenticidade do documento, foi ai que teve a certeza do fato. “Dr. José Afonso me falou que não teria fornecido esses atestados, daí tomei a iniciativa de levar o caso para a Polícia”, comentou o prefeito.
Na decisão do magistrado, ele ainda pediu que fossem feitas buscas e apreensões nos endereços do psicólogo, com o objetivo de apreender carimbos, papéis, atestados e outros objetos úteis à investigação. Preso, o patuense foi encaminhado para o 3º Batalhão da cidade de Patos (PB), onde ficará em sala especial, até a audiência de custódia que será nesta quinta-feira, em Itaporanga.

Promotor conta como funcionava esquema de sonegação em madeireiras da PB

O Ministério Público da Paraíba, por meio da Promotoria de Justiça de Crimes Contra a Ordem Tributária e do GAECO (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) em atuação conjunta com a Secretaria de Estado da Receita desencadearam, no início da manhã desta terça-feira (17), a “Operação Madeira Sem Lei” para dar cumprimento a um mandado de prisão e de três mandados de busca e apreensão, além de sequestro de bens, nas residências dos envolvidos, localizadas em João Pessoa.
Participam da operação nesta manhã de terça-feira promotores de Justiça, duas equipes do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) e quatro auditores fiscais da Secretaria de Estado da Receita. A “Operação Madeira Sem Lei” tem por objetivo desarticular um esquema criminoso de sonegação, que vinha ocorrendo desde o ano de 2014, vitimando pelo menos cinco empresas cujo ramo principal de atividade seria o comércio de madeira em diversas cidades paraibanas, que movimentou mais de R$ 15 milhões, causando, com a ação criminosa, lesão aos cofres públicos na ordem de aproximadamente R$ 3 milhões apenas em impostos, sem considerar as multas em razão da prática ilícita.
A investigação do ilícito criminal durou pelo menos um ano e meio. Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Mari. O promotor Romualdo Tadeu de Araújo Dias, do GAECO , explicou como funcionava o esquema milionário:

terça-feira, 17 de abril de 2018

Transposição: contas de água na Paraíba poderão ficar 21% mais caras...

Canal da transposição, em Monteiro. Foto: Artur Lira/G1
Nem tudo são flores no caminho da transposição de águas do Rio São Francisco. Um relatório elaborado pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) revela que a festa nordestina tem prazo de validade. O grande problema apontado pelo estudo é a falta de sustentabilidade do sistema. Entenda por falta de sustentabilidade a pouca clareza sobre quem pagará a conta da operação. A notícia ruim é que a operação do sistema, principalmente com a conta de energia elétrica, poderá chegar a R$ 800 milhões, a serem rateados pelos municípios de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.
O impacto nas contas de água dos moradores deste estado poderá chegar a 21%. O montante ainda não é cobrado e nem repassado para a população. A previsão é que isso ocorra após a completude da iniciativa. O Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) está orçado, atualmente, em R$ 10,7 bilhões, mas a previsão é a de que este montante seja dobrado até o fim da obra. A iniciativa, no seu projeto original, previa a oferta de água para 12 milhões de habitantes, em 390 municípios, nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.
Pelas simulações apresentadas, verifica-se que o custo de energia para o bombeamento poderá variar entre R$ 0,10/m3, em um cenário otimista, a R$ 0,46/m3, em um cenário pessimista. O repasse destes custos para as tarifas de saneamento considerando perdas de 50% no setor de saneamento, 3% de perdas elétricas e 25% de impostos representarão aumentos variando entre 5% no cenário mais otimista a 21% no cenário mais pessimista. Os valores a serem arcados pelos quatro estados poderão ascender a cerca de R$ 800 milhões anuais considerando o cenário pessimista.

Riscos - De acordo com o relatório, outros riscos de viabilidade ocasionados pelo custo de aquisição de energia são: falta de conhecimento especializado no mercado; falta de planejamento de longo prazo, devido à imprevisão do cronograma de entregas; e ausência de estudos quanto ao uso de autoprodução (energias alternativas).
Com relação à desestatização do Projeto, o MI já apresentou à Presidência da República pedido de avaliação da possibilidade de inclusão do PISF no Programa de Parcerias de Investimentos. Entretanto, a premissa de que a operação e manutenção deverá ser arcada integralmente pelos clientes-Estados, sem concessão de subsídios federais, pode não ser realista por pressupor que ele seja de fato autossustentável. A interpretação rígida dessa premissa, sem análise prudente de todas as variáveis de custo e receita, pode não se concretizar e ocasionar o abandono de uma obra de custo monumental e de significativo impacto no desenvolvimento regional.

Acompanhamento sistemático - A CGU monitora o PISF desde o seu início, em 2007, com vistas a contribuir para que as obras e ramais associados do empreendimento sejam realizados de acordo com as especificações do projeto (garantia de qualidade), dentro do prazo e custo contratados. Somente no ano passado, foram executados quatro trabalhos de auditoria sobre as obras de integração do Rio São Francisco.

Operação desarticula esquema de sonegação que movimentou R$ 15 milhões em madeiras na PB

A Promotoria de Justiça de Crimes Contra a Ordem Tributária, o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e a Secretaria de Estado da Receita (SER-PB) desencadearam, na manhã desta terça-feira (17), a “Operação Madeira sem lei”, para desarticular um esquema criminoso de sonegação que vinha ocorrendo desde 2014, vitimando, pelo menos, cinco empresas do ramo de comércio de madeira, com atuação em diversas cidades paraibanas. Estima-se que o esquema tenha movimentado mais de R$ 15 milhões e causado prejuízo de R$ 3 milhões aos cofres públicos, apenas em impostos, sem considerar as multas em razão da prática ilícita. 
Promotores de Justiça, equipe do Gaeco e auditores fiscais participam da operação. Estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva, nas residências dos envolvidos, no município de João Pessoa, além de sequestro de bens. Os mandados judiciais foram expedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Mari (a 65 quilômetros da Capital). A operação resulta de uma investigação criminal que durou cerca de um ano e meio e que foi iniciada pela Promotoria de Justiça de Combate aos Crimes contra a Ordem Tributária, a partir de informações repassadas pela Secretaria de Estado da Receita que demonstraram que os investigados vinham, reiteradamente, comercializando madeira em desacordo com a lei, fazendo como vítimas empresas regularmente estabelecidas no estado da Paraíba. 
As investigações apontam indícios de que os envolvidos praticaram crime contra a ordem tributária, crime de falsidade ideológica e estelionato. As penas, somadas, podem chegar a 15 anos de reclusão. (com Ascom) 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Lídia Moura confirma apoio do PMN a João Azevêdo e Vené em evento prestigiado por girassóis

Em evento prestigiado por girassois, o PMN, comandado na Paraíba pela jornalista Lídia Moura, oficializou seu apoio ao projeto socialista na Paraíba.
Entre os nomes que se destacaram no evento, estão o ex-secretário e pré-candidato ao Governo da Paraíba, João Azevêdo, o deputado Veneziano Vital, o presidente do PSB, Edvaldo Rosas, Bala Barbosa, e ainda os vereadores Léo Bezerra e Sandra Marrocos, entre outros.

Ricardo descartou renúncia para manter PB nos trilhos: “parecia que a oposição ia governar o Estado”

O governador Ricardo Coutinho (PSB) voltou a afirmar, no início da tarde desta segunda-feira (16), no programa semanal da rádio Tabajara, Fala Governador, que a decisão de permanecer no governo levou em conta o fato de que a Paraíba não pode sair dos trilhos faltando nove meses para terminar o ano. “Parecia que a oposição ia governar o Estado”, disse Ricardo, referindo-se a articulações paralelas do PDT, partido da vice-governadora, Lígia Feliciano, para promover mudanças na administração estadual caso ele renunciasse ao governo. “Fomos nós que ganhamos as eleições”, disse, afirmando que o povo conferiu seu mandato.
“Eu não dependo de um mandato, e mesmo se dependesse, não poderia colocar isso acima das políticas públicas”, disse, acrescentando que não poderia colocar em risco o bem-estar do povo da Paraíba. Ricardo destacou a importância de se manter a boa governança na Paraíba e por isso preferiu ficar governando o Estado, e fica “com um prazer enorme”. Na sexta-feira passada, em visita ao município de Mamanguape, durante entrevista à imprensa local, o governador socialista comentou sobre a relação com o PDT.
“Eles é que queriam romper conosco, eles é que formaram um governo escondido como se fossem eles que tivessem ganho as eleições de 2014. Quem ganhou as eleições fui eu. Eu é que ganhei as eleições. É importante que isso fique registrado. Então, como é que alguém que poderia assumir, já estava formando um governo, ao arrepio do projeto que eu represento, como se fosse começar algo novo. Evidentemente que não, é preciso ter lealdade, porque eu sei qual foi o meu peso, em 2014, e qual foi o peso deles, em 2014. Aliás, eu não, toda a Paraíba sabe, e essa falta de lealdade é uma coisa muito ruim da política”, analisou Ricardo.
Lígia, por sua vez, negou, nesta segunda-feira, a tentativa de formar governo paralelo e afirmou, durante sua entrevista, que é uma mulher honrada e sempre foi leal.

Lígia nega traição a Ricardo e atribui informação a ‘invenção’: “Não há ato meu de deslealdade”

A vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) negou, nesta segunda-feira (16), qualquer plano do seu partido para se aproveitar de uma possível desincompatibilização do governador Ricardo Coutinho (PSB) e montar um novo governo, como ventilado na última semana.
A suposta traição foi tratada como “disse me disse” pela vice-governadora. Ela afirmou que a informação de formação de um ‘governo paralelo’ é de “pessoas que rondam o palácio com invenções e fantasias”. “Governo paralelo? Isso é fantasia, delírio que surge do nada para sujar a honra de uma mulher decente, não tem uma palavra minha que tenha falado mal desse governo”, declarou.
Ela ainda defendeu a sua honra e afirmou que apesar de ser uma vice “discreta e parceira” nunca foi “dobrada”. “Todos conhecem minha trajetória, o PDT sempre se posicionou a favor dessas ideias e desse projeto, não existe um ato só meu de deslealdade…Não existe vice mais discreta e parceira que eu, sou humilde, mas sou guerreira, como uma mulher da Paraíba, guerreira sim senhor pode ser dobrada? Agora só tem uma luta que é a do povo”, destacou.

Deputada Daniela Ribeiro comemora revisão do percentual do fundo partidário para as mulheres

Deputada paraibana comemora revisão do percentual do fundo partidário para as mulheres
A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que julgou inconstitucional o limite de 15% do Fundo Partidário para o financiamento de campanhas de candidatas mulheres foi classificada pela deputada estadual Daniela Ribeiro como mais um incentivo para ampliar e fortalecer a participação feminina na política, pois os recursos aplicados serão proporcionais ao número de mulheres candidatas no pleito.
Na Paraíba, atualmente, existem apenas três deputadas estaduais eleitas entre os 36 postos disponíveis na Assembleia. Até a próxima semana, a suplente Eliza Virgínia (vereadora licenciada da Capital) vem reforçando o time feminino na Casa. Na legislatura anterior, haviam sido eleitas seis parlamentares. Ou seja, entre 2010 e 2014, houve uma redução pela metade das cadeiras ocupadas pelas mulheres. Na representação da Câmara Federal a única deputada eleita em 2010, Nilda Gondim, na eleição seguinte, participou na primeira suplência do senador eleito José Maranhão. Atualmente, nenhuma das 12 cadeiras tem representante feminina.
Daniella Ribeiro (PP) considerou a decisão do STF um passo importante em defesa da luta pela participação das mulheres na política. “Foi um passo importante, uma vez que sabemos que o fundo partidário, sem destinação obrigatória, em um percentual maior, não garante a distribuição para mulheres em alguns partidos. Isso, infelizmente, traz como consequência, a pequena participação feminina em eleições”, comentou.
Com a decisão, que derrubou o percentual imposto pela minirreforma eleitoral de 2014, que fixava um mínimo de 5% e o máximo de 15% do fundo para as campanhas femininas, serão aplicados pelo menos 30% dos recursos do Fundo Partidário usado por cada partido para financiar os candidatos deverão ser destinados às campanhas de mulheres.

Janduhy anuncia apoio a Maranhão que critica critério elitista do PSDB/PV impor candidato

O deputado estadual Jandhuy Carneiro, presidente do Patriotas, e candidato à reeleição, declarou ontem (14), durante o primeiro encontro da nova diretoria do MDB no município de Santa Rita, apoio a José Maranhão na eleição deste ano. Ele disse que a oposição deveria se unir em torno da pré-candidatura do senador ao governo do estado.
Na ocasião, o senador José Maranhão (MDB), criticou a união do PSDB/PV. “É como se a Paraíba fosse a senzala e eles os senhores de engenho, decidindo para a maioria dos partidos e hipoteticamente para a maioria do povo da Paraíba. Queremos que o MDB retorne, na prática, às suas origens. Quando o partido era uma bandeira de oposição à ditadura militar de 64”.
A comunidade e lideranças políticas da cidade compareceram para prestigiar o momento. Vereadores, deputados estaduais e pré-candidatos de Santa Rita aproveitaram o momento para lembrar da força política de Maranhão no município.
A composição do MDB em Santa Rita ficou da seguinte maneira: José Bernardino da Silva-presidente; Otávio Cassiano- vice presidente; Jéssica – secretária; Roni Peterson – tesoureiro e José Fernandes-segundo tesoureiro.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Lígia e PDT anunciam até início da semana posição política com Governo e João Azevedo

A vice-governadora Lígia Feliciano, foi escolhida para falar em nome do grupo e do PDT até o início da próxima semana expondo a posição política do Clã Feliciano diante da nova conjuntura na qual o PSB e setores do Governo tratam-nos como desalinhados e responsáveis pela realidade política do governador Ricardo Coutinho, que decidiu permanecer no Governo por não confiar em sua vice.
O Blog de Walter Santos foi informado por importantes fontes ligadas ao grupo que eles estão avaliando para se pronunciarem. Indagadas se vão romper com o Governo e a candidatura de João Azevedo, eles silenciaram mas garantiram a definição até o início da semana.

Avesso a debates, Bolsonaro não comparece a evento de presidenciáveis

Foi realizado na noite desta segunda-feira (09) um encontro dos presidenciáveis durante o Fórum da Liberdade no Centro de Convenções da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, durante o evento foi sentida a ausência do pré-candidato, Jair Bolsonaro (PSL), que foi o único dos principais nomes cotados para o pleito deste ano a não estar presente.
Durante o encontro os presidenciáveis puderam apresentar para os estudantes seus planos de governo caso sejam eleitos e suas visões de Brasil, em seguida os pré-candidatos responderam algumas perguntas que lhe foram feitas pelo mediador do evento.
A ausência de Bolsonaro neste primeiro evento onde teria uma maior liberdade para demonstrar suas ideias diante dos seus futuros concorrentes e contrapor os pontos expostos por eles com seu ideal de Brasil, abre margem para o questionamento se o pré-candidato estará presente nos debates que ocorrerão durante o período eleitoral.

Luís Tôrres afirma que Lígia e Damião perderam a confiança do governador Ricardo

O PDT perdeu a confiança do governador Ricardo Coutinho (PSB). A revelação foi feita pelo secretário de Comunicação Institucional da Paraíba, Luís Tôrres, em entrevista de rádio nesta segunda-feira (9), na Arapuan. Luís Tôrres disse que o PDT se distanciou durante o processo de decisão pelo qual Ricardo Coutinho passou, sobre sua permanência no mandato ou candidatura ao Senado, e afirmou que não houve, para Ricardo, um nível de segurança real no PDT, que desse tranquilidade para ele renunciar.
“As desconfianças não nascem, não são inspiradas, não são geradas do nada, às vezes ausências geram desconfianças, às vezes a falta da palavra gera desconfiança e às vezes ações que chegam e chegaram geram essa desconfiança”, disse Luís Tôrres. O secretário revelou que o PDT, inclusive, começou um processo paralelo de montagem de equipe para o governo.  Nas secretarias e nos órgãos do Estado, havia pessoas comentando abertamente as expectativas de assumirem nos cargos, com a saída de Ricardo.   
Para Luís Tôrres, o PDT da vice-governadora Lígia Feliciano não foi sincero no apoio e na defesa do Governo. “A defesa que vai além, a reafirmação de projetos como o nome de João Azevedo, onde estava o PDT na noite de quinta-feira, horas antes do anúncio do fico de Ricardo, no evento do PSB no Clube Cabo Branco?”, questionou o secretário. O secretário afirmou que o governador e o pré-candidato João Azevedo é que conduzem o processo, mas na sua opinião pessoal, a confiança foi quebrada. "Acho difícil que isso cole nesse espaço de tempo, em função dessa quebra de confiança", opinou.