sábado, 16 de agosto de 2014

Avião com restos mortais de Campos chegou em Recife (às 23h) e segue em cortejo até o Palácio das Princesas para o velório - que começará às 2h deste domingo; O sepultamento está marcado para às 17h...

Militares da Aeronáutica carregam o corpo do governador Eduador Campos, que segue para a cidade de Recife
A aeronave C-130 Hercules da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou em Recife às 23h05. O corpo do ex-governador de Pernambuco seguirá em cortejo por onze bairros da cidade até o Palácio das Princesas, sede do governo, onde será realizado o velório, que deve começar a partir das 2h da manhã. O avião trouxe também os corpos do cinegrafista Marcelo de Lyra, do assessor Carlos Augusto Ramos Leal Filho (o Percol) e do fotógrafo Alexandre Severo, e deve seguir agora para Aracaju, com o corpo do ex-deputado Pedro Valadares Neto.
Na Base Aérea do Recife estão aliados, amigos e familiares das vítimas. Os filhos de Campos estão vestidos com uma camiseta amarela com os dizeres "Não vamos desistir do país" em verde, frase com a qual o candidato à Presidência encerrou sua entrevista à TV Globo, um dia antes da tragédia. O filho mais novo, Miguel, de apenas sete meses, também está no local.
Renata, mulher de Eduardo Campos, saindo de casa, em Pernambuco Marina Silva na casa de Eduardo Campos, em Recife
No avião, que partiu de Guarulhos às 19h (foto lá de cima), estavam membros do PSB, como João Lyra Neto, governador de Pernambuco, Geraldo Júlio, prefeito de Recife, e Paulo Câmara, candidato pelo partido ao governo de Pernambuco. Fernando Bezerra Coelho, ex-ministro da Integração, também está no avião que traz os corpos. Familiares das outras vítimas também aguardam a chegada dos restos mortais na Base Aérea do Recife.
A identificação dos corpos foi concluída na tarde deste sábado, conforme anunciou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. A liberação foi possível após o recebimento dos atestados de óbito, que haviam sido emitidos em Santos e foram trazidos a São Paulo de helicóptero. Em um comboio com sete veículos, os corpos seguiram por volta das 16h30 para a base aérea de Guarulhos, onde foram embarcados em aviões da FAB (Força Aérea Brasileira), que decolaram no começo da noite de hoje. (clique nas imagens abaixo para ampliá-las)
A provável candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, está ao lado de Renata Campos todo o tempo. A viúva veste camisa branca, enquanto a ex-senadora optou por roupas pretas. Dois caminhões do Corpo de Bombeiros aguardam o desembarque dos caixões.
A capital pernambucana se prepara para receber os corpos das vítimas do acidente. Um carro de som tem circulado pelas ruas de Recife, convidando os moradores para o sepultamento de Campos, marcado para 17h deste domingo.

Rômulo Gouveia, Eva e Ludgério anunciam apoio à candidatura de Lucélio ao Senado...

O vice-governador Rômulo Gouveia, candidato a deputado federal e os deputados estaduais postulantes a reeleição, Eva Gouveia e Manoel Ludgério, todos do PSD, anunciaram apoio a candidatura do petista Lucélio Cartaxo, ao Senado Federal. O encontro ocorreu neste sábado (16).
O anúncio do apoio de Rômulo foi uma surpresa para muitas lideranças políticas. Ele pleiteava a vaga de senador na chapa encabeçada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), que hoje tem Lucélio Cartaxo como candidato. Isso foi o principal motivo do rompimento político entre o vice-governador e o chefe do Executivo Estadual.

Cássio evita falar sobre números de pesquisa, mas pede empenho ainda maior da militância...

Cássio evita falar sobre números e pede empenho ainda maior da militância
Antes de conceder entrevista, às 6h30 deste sábado, à Rádio Campina Grande FM, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato a governador pela Coligação A Vontade do Povo, fez declarações a respeito da pesquisa Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada na edição de hoje do Jornal da Paraíba. 
Segundo a consulta, a primeira após o registro de candidaturas, Cássio conta com 48% das intenções de votos, bem à frente do segundo colocado na corrida sucessória, o governador Ricardo Coutinho (PSB), que pontuou 25%. "Naturalmente feliz com os números da pesquisa, mas recebo-os com humildade e uma disposição maior de trabalho e intensificação da campanha", destacou o senador tucano, ponderando sobre a consulta realizada pelo instituto entre os dias 7 e 9 de agosto.
Ainda segundo o candidato do PSDB, sua orientação para toda a coordenação de campanha, lideranças aliadas e  militância é de que não se implante um clima de "já ganhou" ou "salto alto" nessa batalha que tem ainda 51 dias pela frente, até o dia da eleição. 
Para Cássio, "ainda muito a conquistar e um longo caminho a percorrer", não havendo espaço para acomodação presunções descabidas. E faz um alerta final a todos os que integram sua campanha  ou estão dispostos a votar nele: "Vamos ter sempre a atenção redobrada, fé em Deus e confiança na soberana vontade do povo expressa nas urnas".

Índice de rejeição, de 26%, a Ricardo supera as intenções de voto nele...

Enquanto o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) lidera as intenções de voto (48%), o rival e candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB), que detém 25%; aparece como o mais rejeitado entre os postulantes ao cargo de governador nas eleições de outubro. A pesquisa Ipespe/Jornal da Paraíba revela que 26% dos eleitores afirmaram que não votariam em Ricardo de jeito nenhum.
Confere, ainda, o fenômeno em todas as mesorregiões da Paraíba. Ou seja: Mata, Agreste, Borborema e Sertão. O quesito rejeição acompanha o governador reeleitoral também nos dois principais colégios eleitorais do Estado, João Pessoa e Campina Grande. Na capital, Ricardo detém 20% de rejeição e, em Campina, ele aparece com 24%. A pesquisa revela que, por sexo, a maior rejeição está entre os homens, que são 29%, contra 24% do sexo feminino.
Cássio vem em seguida com 15%. Eis os números por mesorregião: Mata (17%), Agreste (12%), Borborema (15%) e Sertão (16%). Em João Pessoa, Cássio conta com 14% de rejeição e em Campina Grande, apenas 9%. Durante a pesquisa, 18% dos eleitores do sexo masculino disseram que não votariam nele de jeito nenhum, contra 12% do sexo feminino. As maiores taxas de rejeição estão entre os eleitores com nível superior: 23%.
A situação dos candidatos a governador no geral é a seguinte: Ricardo (26%), Cássio (15%), Major Fábio (12%), Vital do Rêgo Filho (12%), Antonio Radical (11%) e Tárcio Teixeira (7%). Os eleitores que não votariam em nenhum deles somam 8% e os que poderiam votar em todos também somam 8%. Já os que não sabem ou não responderam ao que foi perguntado totalizam 25%.

Cássio lidera primeira pesquisa após registro oficial das candidaturas, com 48% contra 25% obtido pelo governador Ricardo e 3% de Vitalzinho...

O Jornal da Paraíba divulgou neste sábado (160 a primeira pesquisa de intenção de votos após o registro oficial das candidaturas a governador da Paraíba no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) apareceu bem a frente do atual governador com 48% das intenções de voto. Os números são da pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), entre 7 e 9 de agosto. O governador Ricardo Coutinho (PSB) tem 25% das intenções de voto.
Já o senador Vital do Rêgo Filho, candidato do PMDB, teve um mau desempenho ficando na terceira posição, com apenas 3%. O Major Fábio, do Pros, obteve 1%. Os candidatos Antonio Radical (PSTU) e Tárcio Teixeira (PSOL) não pontuaram. Brancos e nulos somam 8% e não sabem ou não responderam totalizam 14%. Pelos números apontados na pesquisa, a eleição na Paraíba seria decidida logo no primeiro turno.
No confronto entre Cássio e Ricardo, o tucano supera as intenções de voto conferidas ao socialista em todas as mesorregiões do Estado. A diferença maior aparece no Agreste, com 34% de vantagem para o tucano, que conta com 52% contra 18% do opositor. Nas demais regiões, os números são os seguintes: Mata (42% a 29%), Borborema ( 50% a 26%) e Sertão (52% a 27%). Nos dois maiores colégios eleitorais do Estado – João Pessoa e Campina Grande –, Cássio também bate Ricardo. Na capital, ele obteve 38% das intenções de voto contra 31% do adversário. Em Campina Grande, são 55% para o tucano e 15% para o socialista.
O favoritismo de Cássio também foi registrado na pesquisa espontânea. Ele tem 35%, Ricardo 18% e Vital 2%. Os demais candidatos não pontuaram. A pesquisa do Ipespe foi registrada na Justiça Eleitoral, sob o protocolo PB-00016/2014. Foram ouvidos 1.500 entrevistados no Estado. A margem de erro estimada é de 2,6 pontos percentuais para mais ou para menos, e intervalo de confiança de 95,5%.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Ricardo veta meia-entrada para professores justifica ser inconstitucional

O governador Ricardo Coutinho (PSB) vetou, nesta sexta-feira (15), o projeto de lei que garante o benefício da meia-entrada para professores em eventos culturais. O argumento da decisão foi o de que a iniciativa é inconstitucional, pois quebra a igualdade entre as categoria profissionais. O veto foi publicado no Diário Oficial e agora volta para a Assembleia Legislativa, que pode mantê-lo ou derrubá-lo. O projeto de lei foi proposto pelo deputado Gervásio Maia (PMDB) e aprovado na Assembleia Legislativa em julho. A matéria modifica a lei 9.669/2012, de autoria do mesmo parlamentar, que regulamentou a concessão do benefício no estado.

Mistério na investigação do acidente aéreo que matou Eduardo Campos: a FAB afirma que áudios da caixa preta não corresponde ao da aeronave e PSB lança dúvida sobre investigação...

Marcio Fernandes/Estadão
Realmente muito esquisita essa história do acidente aéreo que matou o presidenciável Eduardo Campos (PSB) e outras seis pessoas. A Força Aérea Brasileira (FAB) informou nesta sexta-feira (15) que os áudios captados na caixa-preta da aeronave não são referentes ao voo realizado na última quarta-feira. Os dados do gravador poderiam ser peça-chave para elucidar o acidente. Em nota, a FAB informou que foram extraídas e analisadas as duas horas de áudio da caixa-preta, o correspondente à capacidade máxima de gravação do equipamento. Nenhuma informação referente ao voo do presidenciável foi registrada.
Local do acidente envolvendo Eduardo Campos 
A FAB afirma ainda que não é possível determinar a data de gravação dos diálogos, já que o equipamento não faz esse tipo de registro, e que “as razões pelas quais o áudio obtido não corresponde ao voo serão apuradas durante o processo de investigação”. A informação de que o equipamento apresentava problemas foi antecipada pela coluna Radar, de Lauro Jardim - Revista Veja.
O ministro da Defesa, Celso Amorim, recebeu um telefonema do deputado gaúcho Beto Albuquerque. Líder do PSB na Câmara, Beto pôs em dúvida a investigação da FAB. Falando em nome do partido, o deputado pediu explicações sobre a notícia de que o áudio disponível na caixa-preta do avião (foto acima) não corresponde ao voo que terminou tragicamente, matando sete pessoas.
“O ministro me disse que também ficou surpreso com a informação”, contou Beto. “Eu informei que telefonaria para o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito. Mas o ministro afirmou que ele mesmo ligaria, para pedir maiores explicações. Nós, do PSB, estamos achando tudo muito esquisito.”
Eis o que disse o deputado: “O avião era novo e moderno. Os pilotos, muito experientes. Tivemos a informação de que houve uma explosão na turbina. Isso não acontece do nada. Depois, ficou-se sabendo que havia aviões não tripulados da FAB, os drones, naquela região. Foi confirmado que havia, mas disseram que estavam longe. Agora, dizem que o áudio da caixa-preta não corresponde ao voo. Não me lembro de ter visto outro caso no mundo em que a caixa-preta não registra o que foi dito na cabine do avião nas últimas duas horas de um voo".
Beto Albuquerque acrescentou: “É muita coisa ocorrendo em torno de uma tragédia. Parece até despiste. A Aeronáutica, o brigadeiro Saito, deve ao Brasil, ao PSB e à família do Eduardo Campos uma explicação convincente. Nós exigimos isso.” O brigadeiro Juniti Saito, comandante da Aeronáutica, telefonou para o deputado e disse-lhe que "isso não e normal" e que foi aberta uma investigação para saber por que não gravou. 
Suas suspeitas foram eliminadas?, perguntou o repórter ao deputado “O brigadeiro nos deu uma satisfação. Pediu que confiássemos nas investigações. Vão abrir uma série de consultas, inclusive junto aos fabricantes dos equipamentos da caixa-preta. E eu pedi que ele nos informasse, quando puder, por que não gravou.” (com Veja / Estadão / UOL / Josias de Souza)

Deputados do PT recusam-se a gravar guia eleitoral com marca do PSB de Ricardo Coutinho e geram confusão em produtora...

Na muita confusão na manhã desta sexta-feira (15), numa produtora em João Pessoa, para gravação do guia eleitoral dos candidatos a deputado estadual do PT. Mesmo não estando coligados com o PSB, pois preferiram disputar em faixa própria, o problema é que a produtora recebeu orientação para colocar a marca do 40, do governador e candidato à reeleição Ricardo Coutinho, na tela. Os candidatos não aceitam.
Temendo um impacto negativo, os deputados/candidatos, especialmente Frei Anastácio, Anísio Maia e Rodrigo Soares, recusam-se a gravar o guia com a marca do 40 e do PSB, por considerarem que isso "vai tirar o voto de legenda do PT, e prejudicar o desempenho do partido, por consequência dos candidatos, então não podemos aceitar que essa marca figure em nossos programas".
A produtora está sendo paga com recursos da coligação majoritária, liderada pelo PSB/PT, que exige como contrapartida a colocação da marca. A gravação estava marcada para esta iniciar nesta sexta, mas, com o impasse, os deputados desistiram de gravar e exigem uma posição da direção estadual do PT. 
A crise está instalada, porque os petistas não querem gravar com o “quarenta” de jeito nenhum, ainda mais mostrando o governador reeleitoral Ricardo Coutinho na tela. O deputado estadual Frei Anastácio, por exemplo, já pediu a Justiça Eleitoral para que possa gravar ser a marca do PSB e do governador. 

Com críticas fortes a Dilma, vídeo do guia eleitoral de Eduardo Campos é divulgado: “Estamos avisando agora que José Sarney, Renan Calheiros e Fernando Collor vão para a oposição, conosco eles não vão governar. É preciso ter alguém que faça isso, senão não tem jeito”, disparou Campos.

O primeiro guia eleitoral do presidenciável Eduardo Campos (PSB), morto em um acidente aéreo na manhã da última quarta-feira (13), foi divulgado na tarde desta sexta-feira (15). No trecho divulgado, o ex-governador de Pernambuco critica o fisiologismo da também candidata, a presidente Dilma Rousseff (PT).
Campos relembrou a criação de ministérios por parte da presidente petista como moeda de troca. “Mesmo com tantos ministérios, ela ficou muito tempo sem votar nada no Senado. Quando o povo foi pras ruas, conseguiram aprovar no Senado em 15 dias o que não conseguiam em um ano, então temos de colocar a sociedade para cumprir seu papel”, disse Eduardo.
Ele ainda reforçou que não buscaria o apoio do PMDB, caso eleito. “Estamos avisando agora que José Sarney, Renan Calheiros e Fernando Collor vão para a oposição, conosco eles não vão governar. É preciso ter alguém que faça isso, senão não tem jeito”, disparou. 

Coligação de Cássio acaba de fechar a agenda para a próxima semana...

Em primeira mão - A coligação 'A Vontade do Povo', liderada pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato ao governo, acaba de fechar toda a agenda, por sinal bastante cheia, para a semana que vem, quando será retomada as atividades de campanha que foram canceladas até o próximo domingo (17) por conta da morte - ocorrida quarta-feira (13) e funeral - previsto para às 17h de domingo - do presidenciável Eduardo Campos (PSB). 
A agenda começa na segunda-feira (18) com um arrastão no Bairro Padre Zé, em João Pessoa; Na Terça-feira (19), Cássio participa de debate na TV Arapuan; Quarta-feira (20), atividade de campanha nos municípios de Gurienhém e Pilões; Na Quinta-feira (21), serão realizados comícios nas cidades de Boqueirão e Queimadas; Sexta-feira (22), a Caravana 45 segue para a região de Cajazeiras; 
No Sábado (23), grande carreata saindo de Guarabira indo pra Pirpirituba, Belém, Riachão, Tacima, Araruna, Cacimba de Dentro e Solânea; No Domingo (24) haverá uma carreata saindo de Arara, passando por Remigo, Esperança, Lagoa de Roça, Lagoa Seca e Campina Grande, encerrando na Rua Odon Bezerra após passar por vários Bairros da cidade.

PL que pretendia denominar de Tia Laura escola municipal, como queria prefeito, é arquivado porque já existe denominação - Maria de Fernão...

Além de fiscalizar o executivo e legislar, é imprescindível para uma boa atuação parlamentar que o Vereador saiba o que está propondo e cumpra uma tarefa simples na hora de elaborar e apresentar um projeto de lei: pesquisar. Mesmo que a intenção seja das mais louváveis possível, um bom parlamentar não pode jogar um projeto para apreciação do plenário sem saber se a proposta já existe. O mesmo vale para comissões temáticas e para os demais edis, na hora de apreciar e votar qualquer matéria. Inclusive, para o próprio executivo quando for de seu interesse.
Na sessão de ontem (14), da Câmara Municipal de Itaporanga, o plenário se deparou novamente com uma situação constrangedora quando da apreciação de projeto de lei, de autoria do vereador Ubiramar (PTB), que tinha por finalidade denominar a Escola Municipal Infantil de Tempo Integral, localizada no conjunto Chagas Soares, construída pelo ex-prefeito Djaci Brasileiro e orçada em mais de R$ 1.3 milhão, um dos mais importantes investimento em educação no município, na última década.
Situação constrangedora porque expôs uma polêmica desnecessária diante da perspectiva de uma família honrada em ver a homenagem a uma das mais expoentes na educação local, ser arquivada por conta da péssima elaboração de uma lei, sem pesquisa. O projeto em pauta ontem visava denominar a escola com o nome da professora Laura Araújo - a saudosa Tia Laura. No entanto, a referida escola já tem nome. Trata-se de honrosa homenagem proposta pelo então vereador Erivaldo Rufino, em 2012, à Maria Nóbrega Aguiar de Sá - também saudosa dona Maria de Fernão.
Da tribuna, o edil defendeu o projeto ora proposta em consonância com o que prometeu mês passado o prefeito Audiberg Alves, durante a inauguração da escola [cuja placa não tem o nome de dona Maria de Fernão]. Coube ao vereador Ricardo Pinto (foto acima) alertar de que o projeto era inválido porque já existe denominação. Uma desconsideração à uma figura ilustre que tanto fez pela sociedade itaporanguense, no caso dona Maria de Fernão. Não menosprezando, claro, a finalidade honrosa da homenagem pretendida à Tia Laura.
"O senhor precisa estar mais atento com os projetos que propõe para que a câmara não passe vexame ao aprovar algo que já existe. A homenagem a Tia Laura é por demais justa, mas a escola já tem nome e de uma pessoa não menos importante, que é de dona Maria de Fernão. A própria família de Tia Laura jamais seria de acordo com essa troca. Por isso, temos que ter mais responsabilidade com a atuação parlamentar", discursou da tribuna Ricardo.
Situação idêntica aconteceu ano passado quando a câmara aprovou projeto de lei denominando o posto de saúde da comunidade rural Cravoeiro/Araxá de 'Alcebíades Alves de Carvalho', pai do atual prefeito. Uma semana depois, a câmara invalidou a aprovação da matéria porque o posto de saúde já tinha nome - do senhor Francisco Bidô. De autoria também do vereador Ubiramar, coube na ocasião a vereadora Izabelle Mendes alertar à Casa de que já havia nome no posto. A câmara desfez na época o erro à que fora levada por conta de um projeto mal elaborado e sem pesquisa.
Agora, alertada por um vereador atento às matérias propostas, a mesa diretora arquivou antes de passar novo vexame.

Maria de Fernão [que faleceu em outubro de 2010, aos 76 anos de idade] dedicou sua vida à causa dos pobres: dirigiu o Clube de Mães de Itaporanga, onde ensinou a pintura, o bordado e a arte culinária para centenas de mulheres. Como integrante do Lions Clube local, realizou inúmeras campanhas em benefício de pessoas desabrigadas e carentes. Foi membro do Centro Espírita Jesus de Nazareth, onde realizou, até o fim da vida, eventos destinados a crianças pobres. Artista plástica, decorou centenas de casamentos em Itaporanga, sem contar as festas de debutantes e outros eventos festivos.


Laura Araújo, carinhosamente chamada de Tia Laura [que faleceu em janeiro de 2013, aos 82 anos de idade], foi uma das baluartes na educação local, uma das primeiras professoras da cidade, turma de normalistas diplomada em 1949, tendo fundado em 1981 um dos mais importantes educandários de ensino infantil da região - o Instituto Educacional Santa Mônica [tocado hoje por duas filhas, Ritinha e Verônica]. Grande parte dos itaporanguenses alfabetizados ns últimas cinco décadas, do século passado, passaram por suas mãos. 

Prefeitura de Itaporanga inaugurou escola sem colocar nome de Maria de Fernão, homenageada, na placa e ex-vereador indigna-se com desleixo...

Escolas foi inaugurada sem nome da homenageada - dona Maria de Fernão 
Ainda sobre a polêmica do projeto que tentava denominar novamente a escola infantil do Conjunto Chagas Soares, o ex-vereador Erivaldo Rufino, morador da localidade, em contato com o blog, mostrou-se indignado com a banalidade como as coisas são tratadas na atual gestão. Ele foi o autor do projeto que deu o nome de dona Maria de Fernão, a escola.
"Como é que a prefeitura e o próprio vereador (Ubiramar) não tiveram cuidado de averiguar se a escola já tinha nome. Em 2012, por unanimidade, a câmara aprovou projeto de minha autoria que homenageou uma lutadora dos pobres de nossa terra, que foi Maria de Fernão. É preciso mais cuidado e responsabilidade com as coisas", comentou. A indignação de Erivaldo é compartilhada pela população e sociedade itaporanguense. O novo projeto apresentado ontem foi arquivado, pela Mesa Diretora ao cientificar-se da existência do projeto anterior.
Quando da inauguração da escola, há menos de um mês, observei que a placa não tinha o nome de dona Maria de Fernão (veja na foto acima), desconsideração para família de qualquer homenageado que fosse, porque o prefeito Audiberg Alves, na oportunidade, anunciou que seria dado o nome de Tia Laura - baluarte da educação local. Ora, como é que a prefeitura não foi atenta para pesquisar e saber que já existia um nome na escola. O próprio procurador geral do Município, José Valeriano, que poderia ter alertado, exercia mandato de vereador e aprovou a matéria. Responsável por todo setor jurídico da edilidade ele não foi capaz de lembrar que tinha aprovado.
Outro caso estarrecedor é que a inauguração, além de demorada, aconteceu sem quaisquer cuidados da atual gestão para com a execução de infraestrutura auxiliar à edificação da escola. A gestão do ex-prefeito Djaci Brasileiro, além de construir a escola, executara mais da metade do calçamento da rua Ariosvaldo Alves de Almeida, parando pouco adiante da sede da loja maçônica existente na localidade, por conta do término do governo, que dá acesso à escola. Porém, como não foi reeleito em 2012, Djaci deixou para a atual gestão a conclusão da outra metade da rua, além da murada da escola.
 
A atual gestão entregou a escola mas não concluiu a construção do calçamento da rua, ação importante para acesso da escola e melhoria da localidade. Com isso, pais e crianças terão de enfrentam a poeira em época de seca e lama quando em períodos chuvosos, correndo o risco de contrair variadas doenças. 

Itaporanga está muito bem servida com a Churrascaria Nelore Grill...

Itaporanga acaba de ganhar mais um espaço destinado ao bom paladar, a Churrascaria Nelore Grill oferece no almoço, por exemplo, todos os dias um delicioso e variado cardápio no sistema self service, panelinhas e pratos à la carte. 
A Churrascaria Nelore Grill chegou para preencher uma lacuna que existia, diferencial e preocupado com os muitos detalhes da gastronomia, e sobretudo, com um cardápio que atendesse de forma simples e sofisticada todos os paladares do município e da região. 
Com espaço aconchegado, na Churrascaria Nelore Grill o cliente tem à disposição um completo e diversificado buffet para o almoço e um variado cardápio com pratos à la carte para os jantares. 
A Churrascaria Nelore Grill está localizada em local privilegiado, na Avenida Deputado Soares Madruga, centro da cidade, passagem obrigatória para quem segue pela BR-361. 

TRE confirma que pedido de registro de candidatura de William Santiago foi feito para substituição...

OOADFA ADFA 300x188 Bomba! Wilson Filho deve retirar candidatura e lançar o irmão William Santiago
Apesar das declarações do candidato ao Senado, Wilson Santiago (PTB), dando conta que o pedido de registro de candidatura do seu filho, William Santiago, foi para ocupar ‘espaços vazios’ deixados por alguns ex-candidatos que desistiram do pleito, consta no TRE da Paraíba solicitação para registro de candidatura do petebista com pedido de substituição.
Atualmente, o registro da candidatura de William se encontra na secretaria judiciária e aguarda para ser julgado a qualquer momento. O relator do processo é o desembargador João Alves da Silva. A candidatura de William Santiago foi registrada em 06 de agosto, cinco dias após o TRE-PB ter negado o registro do seu irmão, o deputado federal Wilson Filho por suposta doação irregular para sua campanha no pleito de 2010.
Com 21 anos, William Santiago declarou ter um patrimônio de R$ R$ 737.176,79, entre apartamento, quota de empresa, propriedade rural, veículo e R$ 300 mil em espécie. Caso seja mesmo candidato, a previsão de gastos na campanha é de até R$ 5 milhões.
Leia também: Após ser barrado pelo TRE-PB, deputado federal Wilson Filho deve ser substituído pelo irmão William que já está com candidatura registrada.

TJPB fará reengenharia de sua máquina administrativa para economizar

Com uma máquina administrativa “pesada” e a redução dos repasses dos duodécimos ao Poder Judiciário paraibano nos últimos três anos, despesas com vigilância e segurança armada, gastos com energia elétrica e com folha de pessoal estão na 'mira' do TJPB. A ordem é economizar. 
E para estudar adequações orçamentárias, foram constituídos os comitês orçamentários 2015 para o 1º e 2º grau de jurisdição. Entre as propostas, a substituição de parte dos vigilantes pela guarda militar da reserva da PM poderá reduzir em 25% os gastos com segurança privada. 
Na área de pessoal, a medida seria reduzir o quantitativo de gerências, chefias e supervisões, funções que poderiam ser fundidas ou extintas, além de extinguir comarcas, unidades e cargos (assistente administrativo e oficial judiciário), e reduzir assessores.
Na reengenharia pretendida pelo TJPB é preciso que haja uma redistribuição de pessoal comissionado entre 1º e 2º grau de jurisdição. Existem aproximadamente 500 cargos comissionados lotados no 1º grau e cerca de 420 no 2º grau. Sendo que no 1º grau tramitam muito mais processos: cerca de 500 mil, contra apenas 30 mil no 2º grau.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

PRF realiza megaoperação e apreende várias motocicletas em Piancó...

 
A Polícia Rodoviária Federal realizou na noite desta quinta-feira (14) às margens da BR 361, cerca de 300 metros da entrada de Piancó, uma megaoperação para apreender veículos sem a documentação legal, além de seus condutores. Esaú Alves um dos comandantes da operação informou que o principal objetivo é verificar as condições das motocicletas devido ao aumento dos acidentes e mortes ocorridos nos últimos anos nas rodovias federais do Estado.
O policial falou que a operação serve ainda para resguardar vidas, já que eles estão fiscalizando documentos, condições das motos e carta de habilitação. Além das motocicletas, os carros também são fiscalizados, no entanto, a atenção maior é com as motos. Várias motocicletas foram detidas para averiguação, dentre as quais uma moto Honda Biz de cor vermelha com suspeita de roubo, além de várias sem habilitação, motos não licenciadas, falta de pagamento do seguro.  
Segundo informações algumas pessoas foram encaminhadas para a delegacia de polícia civil. Esaú revelou que 64% das pessoas internadas no hospital de trauma são vitimas de acidentes envolvendo motocicletas e, além disso, houve um aumento considerável no número de mortes em consequência de acidentes com motos.
 
A operação que começou no final da tarde e adentrou pela noite, conta com 25 policiais, sete viaturas, seis motos, um guincho e posto móvel. (com ValeNewsPB)

Guia Eleitoral no rádio e na televisão só pode ser adiado se proposta for consensual entre coligações, admite presidente do TSE...

Imagem da Internet
O TSE admite apreciar proposta de adiamento do início da programação do guia eleitoral gratuito no rádio e na televisão se isso for consenso entre as coligações que disputam a Presidência da República. Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, o presidente do Tribunal, ministro Dias Tófolli, sinalizou em favor da hipótese, mas adiantou, por outro lado, que o pedido isolado do candidato do PV, Eduardo Jorge, não deve prosperar.
Foi o candidato do PV quem provocou a discussão, em nível nacional, sobre o possível adiamento em decorrência da trágica morte do presidenciável e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). A transmissão dos programas no rádio e na tv começam na próxima terça-feira e vai até o próximo dia 2 de outubro.
De acordo com a Folha, Eduardo Jorge alegou que o adiamento permitiria à coligação de Campos adaptar, principalmente os primeiros programas, à nova realidade, a partir das decisões tomadas sobre substituição ou apoio a outro candidato. “Seria também em respeito ao luto da família e ao pesar do povo brasileiro”, completou.
Já o ministro Tócolli lembrou que a data de início da programa está prevista em lei e o TSE não teria como deferir o adiamento para atender a um só candidato. “O dia do início (da programação) é uma imposição da lei”, sustentou.

MP pede condenação do prefeito de Jacaraú, por enriquecimento ilícito com aquisição de peças automotivas; Em Itaporanga, gestão foi alvo de denúncias por indícios de superfaturamento na aquisição de peças...

Gestor é acusado por compra irregular de peças de automóveis, com fraude na aquisição de notas fiscais.
Uma ação civil pública do Ministério Público da Paraíba (MPPB) está requerendo junto à Justiça a condenação do prefeito de Jacaraú, João Ribeiro Filho (PMDB), por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. Na ação, de autoria do promotor de Justiça de Jacaraú, Marinho Mendes Machado, o gestor é acusado por compra irregular de peças de automóveis no valor de R$ 40.926,00, com fraude na aquisição de notas fiscais. Com base nos autos do inquérito civil 001/2014, a ação também solicita o afastamento do prefeito do cargo.
“A conduta criminosa praticada pelo prefeito pode ser enquadrada como ato de improbidade, que importa enriquecimento ilícito, pois, com a compra das notas fiscais constantes no inquérito civil público, fica devidamente comprovado que ele recebeu para si dinheiro, de forma direta, a título de percentagem, da empresa à qual se associou para a prática do ato de improbidade”, diz o promotor na ação civil pública.
A ação cita o artigo 9º da Lei da Improbidade Administrativa: “Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo, mandato, função, emprego ou atividade nas entidades mencionadas no artigo 1° desta lei”.
Os Fatos - De acordo com os autos do inquérito civil anexo, a Prefeitura de Jacaraú, por meio do prefeito João Ribeiro, celebrou contrato com a empresa Elizimário Edilson de Araújo, de Natal (RN), visando a aquisição de peças para automotores da administração municipal local. Após inspeção fiscal realizada pela Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Norte, constatou-se que a empresa é registrada na Receita Federal com capital zero e realizou operações de saída com nota fiscal no valor de R$ 38.318,99, principalmente para a Prefeitura de Jacaraú, sem registro de entradas das possíveis mercadorias contratadas e pagas.
Após diligências realizadas no endereço da empresa pela Secretaria da Tributação do Rio Grande do Norte, constatou-se que ela não se encontra exercendo qualquer atividade no endereço fiscalizado. Diante dos fatos acerca da malversação do dinheiro público, a Promotoria de Justiça de Jacaraú instaurou inquérito civil público. “Verificou-se e constatou-se que a Prefeitura de Jacaraú, por meio do prefeito João Ribeiro, comprou de forma fictícia, causando sérios prejuízos à edilidade, com seu enriquecimento ilícito, autopeças que somaram a quantia de R$ 40.926,00”, ressalta o promotor na ação civil pública. “Essa conduta pode ser tida como compra de nota fiscal para justificar gastos em balancetes”.
“Visando maquiar a descompostura ilícita”, diz a ação, “o gestor de Jacaraú determinou que fosse realizada uma licitação na modalidade 'carta convite', à qual recebeu o número 00012/2013, procedimento levado à termo com a vontade consciente de mascarar a fraude na aquisição das notas fiscais”.

A gestão municipal em Itaporanga também foi alvo de várias denúncias, feitas na câmara, por indícios de superfaturamento na aquisição de peças automotivas. Confira acessando os links, a seguir:
Vereador aponta indícios de superfaturamento acima de 100% na compra de peças para veículo 'fantasma' pela Secretaria da Saúde em Itaporanga




Padre Gilberto Lisboa, pároco de Pombal, abandona o sacerdócio...

A padre Gilberto Lisboa é mais um sacerdote a abandonar a batina. O anúncio foi feito por ele na página pessoal na internet. A decisão pegou os católicos da cidade de Pombal  de surpresa, já que ele é bastante querido pelo povo católico da Igreja São Judas Tadeu.
O padre não revelou o motivo que o levou a tomar essa decisão, mas esclareceu que recentemente conversou com o Bispo Dom José Gonzáles e resolveu desistir da missão religiosa.  “Minha renuncia é fruto de uma decisão livre”, disse.
Antes de assumir a paróquia São Judas Tadeu em Pombal, padre Gilberto administrou a Paróquia São Francisco da cidade de Monte Horebe. Ele não revelou qual profissão deverá seguir de agora em diante.

PV pede adiamento do horário eleitoral devido a morte de Campos...

Eduardo Jorge, candidato do PV à Presidência da República
Em decorrência do acidente que matou o candidato Eduardo Campos e da indefinição no PSB sobre quem será o substituto dele na corrida eleitoral, o candidato do PV à Presidência da República, o paraibano Eduardo Jorge, pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a suspensão do horário eleitoral.
Em carta enviada à presidência da corte nesta quinta-feira (14), Jorge pede que o início da propaganda eleitoral seja protelada em três dias, passando do dia 19 para o dia 23 em cadeia nacional de rádio e televisão. Na argumentação, o candidato verde sustenta que o tribunal precisa dar mais tempo para que a família e a coligação PSB-Rede possam adaptar os programas à nova realidade que ainda está indefinida.
"O objetivo é permitir que a coligação que tinha Eduardo Campos à frente possa ter um pouco mais de tempo e tranquilidade para se organizar e adaptar seus programas de divulgação política previstos em lei", diz a carta de Eduardo Jorge. De acordo com lei eleitoral, o PSB tem dez dias para se acertar entre os partidos coligados e definir quem será o titular da chapa que era encabeçada pelo ex-governador pernambucano.

William Bonner rebate agressões por conta de tom crítico que adotou nas entrevistas com presidenciáveis no Jornal Nacional: “Fiz e farei perguntas que os candidatos prefeririam não ouvir”.

Alvo de agressões e xingamentos pelo tom crítico que adotou nas entrevistas com os presidenciáveis no Jornal Nacional até aqui, o jornalista e apresentador William Bonner rebateu os comentários nesta quinta-feira (14) e disse que continuará atuando da mesma forma em qualquer entrevista.
“Em todas as entrevistas, fiz e farei as perguntas que os candidatos prefeririam não ter que ouvir. Assuntos que lhes são desconfortáveis, incômodos. Assuntos que eles não abordam na propaganda eleitoral, obviamente. São assuntos de interesse jornalístico, são assuntos que o eleitor deve conhecer”, escreveu Bonner numa rede social.
Para o apresentador do Jornal Nacional, as críticas feitas especialmente pelos partidários dos candidatos que já participaram até aqui das entrevistas são oriundas do que ele chama de “obscurantismo” e “intolerância”.
“Vejo com espanto como as paixões eleitorais momentâneas podem alimentar a intolerância de um tipo de eleitor que se considera suficientemente informado sobre os candidatos – e que nega às outras pessoas o direito de se informar. É aquele que não quer saber mais nada. Não quer ouvir explicação sobre nenhuma questão polêmica. E é um direito dele. O problema é quando não quer que ninguém mais tome conhecimento daquelas questões. E, por isso, insulta quem pensa de forma diferente, insulta quem cobra aquelas explicações de candidatos a cargos públicos. Isso se chama obscurantismo”, disse o apresentador do Jornal Nacional.
Com mais de 30 anos de profissão, Bonner diz que todos os candidatos à Presidência que entrevistou desde 2002 no Jornal Nacional ouviram perguntas incômodas, que não gostariam de terem sido confrontados em rede nacional. O apresentador afirma, porém, que trata-se de um dever eminentemente profissional e jornalístico, respeitado por todos os entrevistados e postulantes à Presidência da República. 
“Todos os candidatos que entrevistei, sem nenhuma exceção, sabiam que era papel deles prestar esses esclarecimentos – e que era meu papel cobrar as explicações. E isso sempre foi feito, de ambas as partes, de forma cordial, serena, respeitosa. Sempre. É esse respeito que falta aos que usam o espaço de comentários de uma foto para insultar, agredir, praguejar contra o conteúdo eminentemente jornalístico de uma entrevista”, declarou o jornalista. 
Furioso e chateado com os comentários ultrajantes e obscenos enviados depois das entrevistas feitas com Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), o apresentador global diz que os partidários de ambos os candidatos precisam aprender o valor real da democracia plena no Brasil.
“[Esses comentários] insultam não só a mim, como entrevistador, mas a todos os demais eleitores que desejam ser informados sobre as questões polêmicas de todos os candidatos, sejam quem forem. Essa intolerância eu faço questão de deixar registrada nos comentários. Alguma utilidade terá pra quem quiser analisar os freqüentadores desse ambiente encantador e agressivo, enriquecedor e mesquinho, democrático e sectário que é a internet”, declarou William Bonner.
O Jornal Nacional iniciou na última segunda-feira (11) a rodada de entrevistas com todos os presidenciáveis. O primeiro ouvido pelo JN foi Aécio Neves (PSDB), e na terça-feira Eduardo Campos (PSB), que faleceu ontem em virtude de um acidente de avião, menos de 24 horas depois da entrevista na TV Globo. Por conta da morte de Campos, as entrevistas com a presidente Dilma Rousseff (PT) e com o Pastor Everaldo (PSC) foram remarcadas para a próxima semana. 
Nas conversas ao vivo com Aécio e Campos, os apresentadores do JN abordaram questões polêmicas para ambos, como a construção de um aeroporto nas terras de um tio avô de Aécio Neves na cidade de Cláudio (MG), além do ‘esforço’ de Eduardo Campos em nomear parentes para cargos públicos. (com Rodrigo Rodrigues / Terra)

Cássio revela que conversou com Campos para desfazer aliança na PB

Cássio tentou concretizar aliança entre Aécio e Campos no primeiro turno
Ainda consternado com a morte do amigo, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) revelou, na manhã desta quinta-feira (14), que manteve várias conversas com o ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB), antes de desfazer a aliança com o PSB na Paraíba para disputar o cargo de governador nas eleições estaduais deste ano.
Cássio declarou que se encontrou com Campos em sua residência em Recife e outras vezes no seu apartamento funcional em Brasília antes de sacramentar o fim da aliança no Estado. O senador também contou detalhes da relação de amizade que mantinha com o pernambucano, desde a época em que eram deputados, e lembrou que certa vez ficou até as quatro horas da madrugada contando causos, juntamente com Ariano Suassuna, na casa de Campos. “Esta foi uma das noites mais agradáveis da minha vida”, afirmou o senador.
Eduardo Campos morreu na manhã de ontem, vítima de acidente de avião na cidade de Santos (SP). Ele seguia do Rio de Janeiro para a cidade do litoral paulista, onde cumpriria agenda de campanha. 

Servidores da Justiça Estadual param atividades em todas as comarcas do Estado nesta sexta-feira...

Os servidores do Poder Judiciário da Paraíba irão paralisar as atividades, por duas horas, sexta-feira (15), em todas as comarcas do estado. A decisão foi tomada em da assembleia geral extraordinária convocada pela Associação dos Técnicos, Auxiliares e Analistas Judiciários da Paraíba (Astaj-PB) e pelo Sindicato dos Oficias de Justiça, (Sindojus-PB), no final de junho último, em Campina Grande. 
Segundo o presidente da Astaj, José Ivonaldo, a paralisação irá ser realizada das10h às 12h e os serviços dos cartórios judiciais serão interrompidos. A mobilização será marcada com protesto dos servidores pelo não cumprimento da Lei Estadual Nº 10.195/2013, que garante a movimentação (progressão e promoção) na carreira funcional  dos servidores do judiciário estadual. De igual modo, pela defesa da jornada de trabalho de seis horas para os servidores e por melhores condições de trabalho.
Os servidores reclamam por maior valorização funcional e remuneratória. "Se já não bastasse os servidores perceberem baixos salários e serem obrigados a trabalhar em jornada de sete horas sem a devida contrapartida remuneratória, não podem também ser vítimas da subtração de vários direitos consagrados em lei, tais como a movimentação funcional (progressão e promoção), a gratificação de produtividade entre outros", disse Ivonaldo.
O presidente da Astaj acrescentou ainda que a paralisação do dia 15, aos olhos dos servidores, deve ser considerada como um alerta que bem demonstrará o quanto eles estão indignados e insatisfeitos com a situação que está sendo imposta pela atual direção da Corte Estadual.

Conta de energia fica mais cara na Paraíba a partir do próximo dia 28

Conta de energia fica mais cara na PB a partir do dia 28
A conta de energia ficará mais cara a partir do dia 28 na Paraíba. O reajuste atinge 1,2 milhão  de paraibanos e foi divulgado na quarta-feira (13) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A proposta inicial de reajuste apresentado pela Energisa foi de 27,23%. A assessoria da Aneel informou que a diretoria da agência deve se reunir até a terça-feira (26) para decidir o índice.
Por meio da assessoria de imprensa, a Energisa informou que o percentual de 27,23% foi apresentado em decorrência da compra de energia produzida por termoelétricas, devido à falta de chuva. O aumento na conta de luz acontece anualmente. No ano passado, por conta da revisão tarifária, não houve alta, e sim redução de 3,8%.
Outra justificativa apresentada pela Energisa foi a de que a composição do índice foi quase integralmente impactada pela compra de energia das geradoras. No período avaliado, o preço do Mwh das geradoras subiu muito devido à escassez de chuva, custo que integra a parcela A, das despesas não gerenciáveis pela empresa.

Opção do PSB por Marina não será automática, cúpula não a suporta...

Não será automática a ascensão de Marina Silva à cabeça da chapa presidencial do PSB, que ficou acéfala com a morte de Eduardo Campos. Hoje, a maioria da Executiva reprovaria a solução, disse na noite passada um dirigente do partido. Se apostarmos tudo na Marina, qual será o nosso legado?, perguntou. A herança será nula, ele mesmo respondeu. Logo, logo a Marina registra a sua Rede Sustentabilidade e vai embora, completou.
Alguns dos principais líderes do PSB já conversam sobre o futuro. Fazem isso por necessidade, não por opção. Pela lei, o partido terá de tomar uma decisão até sexta-feira (22) da semana que vem. Em respeito ao período de luto, o debate ocorre longe dos refletores. Nada será formalizado antes do funeral de Campos. O diálogo ainda não chegou a Marina, que se recolheu após manifestar respeito ao companheiro morto e solidariedade à família.
As restrições a Marina disseminaram-se pela cúpula do PSB. Hospedada na legenda há dez meses, ela não fez amigos. Ao contrário, colecionou desafetos. Substituto de Campos na presidência do PSB, Roberto Amaral, não a suporta. O secretário-geral Carlos Siqueira, homem de Campos na coordenação nacional da campanha, decepcionou-se com a vice.
Secretário nacional de Finanças e presidente do diretório de São Paulo, Márcio França teve de atropelar a resistência de Marina para se tornar candidato a vice-governador na chapa do tucano Geraldo Alckmin. O mesmo sucedeu em outras sete Estados nos quais o PSB aliou-se ao PSDB. É contra esse pano de fundo que o partido de Campos discute o seu reposicionamento no jogo sucessório.
A ascensão de Marina dependeria de uma ampla negociação. Prevê-se, no entanto, que ela permanecerá refratária a acordos. Nas palavras do dirigente partidário ouvido pelo repórter, Marina assumiu a condição de vice de Campos como se fizesse “um favor”. Avalia-se que, para virar cabeça da chapa, ela vai impor condições, não o contrário. Algo que provocará um “endurecimento” dos setores que vinham “tolerando'' Marina a pedido Eduardo Campos.
Não há dúvidas no PSB quanto ao cacife de Marina. Mesmo os seus críticos mais cáusticos prevêem que o Datafolha a ser divulgado nos próximos dias confirmará a sua condição de candidata competitiva. Estima-se que a atmosfera de comoção pode inclusive vitaminá-la. Mas o cacique socialista raciocinou em voz alta para o repórter:
Suponha que aceitássemos todas as condições de Marina, disse. Imagine que investíssemos nela recursos financeiros e energia política. Daqui a pouco, ela funda a Rede, pega tudo e vai embora. O PSB ficará com o quê? Nada! Nesse contexto, prossegue o líder socialista, talvez seja melhor lançarmos um nome nosso. Dificilmente deixaríamos de ter algo como 7% ou 8% dos votos.
Sem a presença de Campos, que comandava o PSB com mão de ferro, o partido tornou-se uma federação de interesses dispersos. Ex-ministro de Lula, o presidente Roberto Amaral adoraria, por exemplo, se recompor com o PT e apoiar a reeleição de Dilma Rousseff.
Candidato ao governo do Distrito Federal, praça onde o prestígio de Marina é grande, o senador Rodrigo Rollemberg não se oporia à conversão automática da vice em cabeça de chapa. E o pedaço da legenda coligado ao tucanato nutre um inconfessado desejo de vingança. Dependendo da evolução do debate interno, a opção por uma candidatura alternativa à de Marina pode se converter na única forma de preservar a frágil unidade partidária.
Por ironia, as chances de Marina encabeçar a chapa do PSB serão maiores se o PSDB, interessado em levar a disputa presidencial para o segundo turno, pegar em lanças por ela. Um pedido do governador tucano Geraldo Alckmin, por exemplo, demoveria as resistências do diretório do PSB de São Paulo. Que, associando-se às demais seccionais coligadas com os tucanos, poderia formar a maioria pró-Marina. (com Josias de Souza)

Depois de voltar atrás no apoio a Monaci e retornar à disputa, dias atrás, Lúcia Braga protocolou oficialmente no TRE sua desistência...

Ex-prefeita de João Pessoa, ex-deputada estadual e federal e ex-primeira-dama do Estado, Lúcia Braga (PV) desistiu nesta quarta-feira (13), pela segunda vez, de disputar uma das vagas da Assembleia Legislativa. A informação foi confirmada pelo advogado Johnson Abrantes, que trabalha para a família.
Mulher do ex-governador Wilson Braga, Lúcia conseguiu registro no Tribunal Regional Eleitoral, apesar do pedido de impugnação do Ministério Público Eleitoral. O TRE não acatou o pedido do MPE. Ontem, Lúcia e o marido - o ex-governador e atual deputado estadual Wilson Braga - fizeram uma avaliação mais profunda sobre o cenário eleitoral e decidiram declinar da postulação. 
Ela havia tomado a decisão no final do mês passado e anunciado apoio à candidatura do deputado Monaci Marques (PPS). Dias depois voltou atrás em sua decisão e manteve a candidatura. Agora, decide de vez sair da disputa. Entretanto, ainda não anunciou quem vai apoiar.
O pedido de desistência foi protocolado no TRE no começo da noite de ontem (13). Lúcia é filiada ao Partido Verde, legenda integrante da coligação encabeçada pelo PSB do governador Ricardo Coutinho.  
Leia também: 

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Ricardo suspende campanha e retoma sábado com visita à Patos (manhã), S. J. do Rio do Peixe (tarde), Cajazeiras e comício em Sousa (noite)...

Ricardo coletiva
Em virtude da tragédia que vitimou o presidenciável Eduardo Campos (PSB), o governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato à reeleição pela coligação ‘A Força do Trabalho’, anunciou, na tarde desta quarta-feira (13), durante entrevista coletiva, na Granja Santana, o cancelamento de todos os eventos referentes a sua campanha até sexta-feira (15).
Na retomada das atividades, Ricardo visitará a feira livre da cidade de Patos no próximo sábado (16) pela manhã. À Tarde, a partir das 16h, ele participará do lançamento do comitê de campanha da coligação ‘A Força do Trabalho’ em São João do Rio do Peixe.
Ainda no sábado, Ricardo prestigiará o lançamento da candidatura a deputado estadual de Jeová Campos (PSB), às 19h, em Cajazeiras, de onde seguirá para a cidade de Sousa para participar, às 21h, de comício acompanhado de lideranças que apoiam o seu projeto de reeleição no Sertão paraibano.

Morte prematura de Eduardo Campos embaralha sucessão presidencial

Logo que passar a perplexidade provocada pela morte prematura de Eduardo Campos, o PSB terá de se reposicionar na cena eleitoral. Pela lei, a coligação liderada pelo partido dispõe de dez dias para substituir o candidato. A opção mais óbvia chama-se Marina Silva. Se ela for a escolhida, a sucessão presidencial tende a ficar embaralhada. E mais imprevisível.
Até aqui, esboçava-se uma disputa com grande probabilidade de repetir o Fla-Flu que faz das últimas sucessões presidenciais, desde 1994, uma gincana entre petistas e tucanos. Campos (8% no último Datafolha) lutava para furar o que chamava de “falsa polarização” entre Dilma Rousseff (36%) e Aécio Neves (20%). Apostava que sua parceria com Marina faria dele um candidato competitivo.
Hospedada no PSB desde que o TSE se negou a expedir a certidão de nascimento da sua Rede, Marina sempre foi uma coadjuvante com cara de protagonista —uma vice mais conhecida que o titular, com 20 milhões de votos na biografia. Se a tragédia guindar Marina à cabeça da chapa, ela tem potencial para entrar na disputa do tamanho de Aécio Neves. Ou maior. Numa pesquisa divulgada pelo Datafolha em abril, quando o nome de Campos era substituído pelo de sua vice, chegava-se ao seguinte resultado: Dilma amealhava 39% das intenções de voto. Marina somava 27%. Aécio, 16%.
Sem comoção, Marina já era uma ameaça aos rivais. Se migrar do luto para a candidatura presidencial, Dilma e Aécio terão de remodelar suas estratégias. Resta agora saber: 1) se PSB e Rede, às turras, conseguirão se entender; e 2) se Marina, personagem tão imprevisível quanto as urnas, aceitará substituir Campos. (com Josias de Souza)

Prefeita Cláudia Dias é afastada do cargo em Monte Horebe e ex-prefeito Erivan Dias é denunciado por desvio de mais de R$ 75 mil...

A prefeita do município de Monte Horebe, Cláudia Aparecida Dias (foto) foi afastada do cargo após decisão divulgada pelo Tribunal de Justiça da Paraíba de aceitar as denúncias de que ela teria desviado mais de R$ 75 mil do poder público. O ex-gestor da cidade, Erivan Dias Guarita, também foi denunciado pelo mesmo crime.
O desembargador Joás de Brito Pereira Filho explicou que, em 2007, o então prefeito do município, Erivan Dias, e a então secretária de Administração e Fazenda (atual prefeita), Cláudia Dias, adulteraram os próprios contracheques (relativos ao mês de dezembro de 2006), em valores muito acima do que efetivamente recebiam. Os documentos continham carimbo e assinatura do ex-gestor.
Ainda de acordo com a denúncia, os acusados não arcaram pessoalmente com o pagamento das parcelas contratadas. Conforme documentação apresentada pela instituição bancária, as prestações não seriam debitadas em folha, mas por meio de boletos bancários emitidos pelo banco em nome da Prefeitura Municipal de Monte Horebe, que ultrapassaram o valor de R$ 77 mil.
Para o relator, a acusação que pesa contra os dois é “de extrema” gravidade, embora não se possa afirmar que eles cometeram os delitos. “Revelam uma trama absurda, com vistas ao desvio de recursos e considerável prejuízo ao erário”, complementou; justificando assim a necessidade de afastamento da denunciada do cargo, até o julgamento do mérito.

Ricardo viajou no sábado de JP à Patos com Campos no avião que caiu hoje e resultou na morte do presidenciável e outras seis pessoas...

eduardo e ricardo coutinho (1)
O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), fez uma viagem (foto) no último sábado (9), no avião que caiu e matou o presidenciável Eduardo Campos (PSB) e outras seis pessoas na manhã desta quarta-feira (13). Ricardo viajou na aeronave entre João Pessoa e Patos, durante visita de campanha de Eduardo à Paraíba.
O próprio Ricardo sofreu um acidente de avião em 25 de janeiro de 2013. A aeronave que o conduzia teve uma falha no trem de pouso, o que obrigou o piloto a fazer uma parada forçada no distrito de São José da Mata, em Campina Grande. Ninguém ficou ferido.

Emocionado, Ricardo diz que Eduardo Campos era “um grande pai”...

Ricardo Coutinho durante coletiva
Em coletiva na Granja Santana nesta quarta-feira (13), agora a pouco, o governador Ricardo Coutinho (PSB) lamentou a trágica morte do presidenciável Eduardo Campos e decretou luto oficial de três dias na Paraíba.
"Eduardo tinha uma coisa de grande pai. Era um grande sujeito, uma grande figura", disse Ricardo que esteve no último sábado (9) recepcionando Campos em João Pessoa.
Ricardo lamentou a repentina morte do candidato do PSB. "Eduardo cumpriu sua passagem na terra de uma forma muito rápida, mas muito digna e transformadora".
O governador da Paraíba ainda comentou o relacionamento que mantinha com Eduardo Campos e revelou que o pernambucano gostava de contar histórias. "Nós cultivamos uma relação pessoal muito próxima. Era um grade contador de causos" .
O PSB, partido de Ricardo e Eduardo, divulgou uma nota sobre a tragédia. O socialista também cancelou sua agenda de campanha.

Amigo de Eduardo Campos, Lula divulga nota de pesar e cancela agenda

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou sua agenda dos próximos dias e por tempo indeterminado ao saber da morte do ex-governador Eduardo Campos (PSB), informou a assessoria do ex-presidente.
Lula está em São Paulo e não deve ir para Santos. O ex-presidente ficou bastante chocado com a notícia, já que os dois eram amigos. Pelo Facebook, ele divulgou a nota abaixo: 
"Como todos os brasileiros, estou profundamente entristecido com a trágica morte de Eduardo Campos. Um grande amigo e companheiro.
Conheci Eduardo através de seu avô, Miguel Arraes, um memorável líder das causas populares de Pernambuco e do Brasil.
O país perde um homem público de rara e extraordinária qualidade. Tive a alegria de contar com sua inteligência e dedicação nos anos em que foi nosso ministro de Ciência e Tecnologia. Ao longo de toda sua vida, Eduardo lutou para tornar o Brasil um país mais justo e digno.
O carinho, o respeito e a admiração mútua sempre estiveram presentes em nossa convivência.
Nesse momento de dor, eu e Marisa nos solidarizamos com sua mãe, Ana Arraes, sua esposa, Renata, seus filhos e toda a sua família, amigos e companheiros.
Também prestamos solidariedade às famílias dos integrantes da sua equipe e dos tripulantes que falecerem nesse terrível acidente".

Luiz Inácio Lula da Silva

Dilma sancionou semana passada lei que torna sigilosa a investigação de acidentes aéreos no Brasil; Ele decretou luto pela morte de Campos...

Presidente Dilma Rousseff decretou luto pela morte de Eduardo Campos; no Palácio da Alvorada, bandeiras estavam a meio-mastro (Foto: Filipe Matoso / G1)
A presidente Dilma Rousseff (PT) - candidata à reeleição - decretou luto de três dias no País e vai conceder entrevista coletiva logo mais para falar sobre a morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB), vítima de acidente aéreo quando avião em que estava caiu em bairro residencial de Santos, sancionou semana passada uma lei que torna sigilosa a investigação de acidentes aéreos no Brasil. A partir de agora, a polícia e o Ministério Público terão que pedir autorização a Justiça para ter acesso a caixa preta de um avião envolvido num acidente.
A presidente Dilma divulgou agora a pouco nota de pesar pela morte de Eduardo Campos. Na mensagem, Dilma disse que o país perdeu um "grande brasileiro". O jato em que Campos viajava caiu nesta manhã em Santos. Dilma suspendeu as atividade de campanha por três dias. De acordo com o PT, partido da presidente, os comitês regionais do partido também devem respeitar o luto. O PT ainda decidiu, em conjunto com a Rede Globo, cancelar a entrevista que a candidata daria nesta noite ao Jornal Nacional.
Na nota, Dilma lembrou que teve "longa convivência" com Campos durante o governo do então presidente Luiz Inácio Lula, quando os dois eram ministros.
Veja no vídeo abaixo: (com R7)

Avião de Eduardo Campos colidiu com helicóptero e explodiu no ar, com instantes depois destroços caindo em área residencial de Santos.

FuturaPress - Aeronave caiu na cidade de Santos  
O jato da campanha de Eduardo Campos (PSB), que arremeteu por causa do mal tempo, teria colidido com um helicóptero e explodiu no ar. O candidato estava acompanhado do assessor Carlos Percol e de equipes de filmagem. Sete pessoas morreram no acidente. As informações foram obtidas, com exclusividade, pela jornalista Ticiana Villas-Boas em conversa com um amigo da família, que está na casa de Campos. Segundo a estimativa do piloto de helicóptero Paulo Ortega, o avião de Eduardo Campos pode ter batido a uma velocidade de 230 km/h.
A queda do jato particular da campanha de Campos aconteceu na manhã desta quarta-feira (13) em Santos, no litoral de São Paulo. O candidato estava a bordo da aeronave que partiu do Rio de Janeiro e tinha como destino a cidade paulista. A mulher de Eduardo Campos, Renata Campos, de 45 anos, e o filho do casal, Miguel, não estavam no acidente que matou o candidato à Presidência da República pelo PSB, como havia sido confirmado anteriormente. (com UOL)

Cássio chora muito ao ser informado da morte de Eduardo Campos e cancela agenda com Aécio Neves na Paraíba

Reproduzir o vídeo
Abalado, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) deixou o seu comitê político em João Pessoa aos prantos ao ser informado da morte do ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, em um acidente de avião em Santos (SP), na manhã desta quarta-feira (13). 
Cássio tão logo soube do acidente que vitimou o presidenciável também suspendeu a sua agenda de campanha. De acordo com informações, Cássio estava atendendo lideranças em seu comitê em João Pessoa quando tomou conhecimento do acontecido. Cássio teria chorado ao saber da morte de Eduardo Campos e deixou o comitê abalado.
A Assessoria de imprensa da Coligação "A Vontade do Povo", encabeçada por Cássio, informou também que. diante do trágico acidente, a agenda do presidenciável Aécio Neves (PSDB) na Paraíba está suspensa. Em contato com Aécio Neves, Cássio decidiu suspender os comícios programados para os municípios de Santa Luzia, Patos e Pombal, diante da consternação pela morte do ex-governador de Pernambuco.
"Mais do que um homem público exemplar e um dos mais notáveis líderes de sua geração, Eduardo Campos era amigo pessoal de Cássio Cunha Lima há muitos anos e sempre nutriu pelo senador e candidato a governador da Paraíba um carinho especial, extensivo à toda Paraíba", diz a nota da assessoria. Nas próximas horas, serão divulgadas novas informações sobre a agenda do senador Cássio e da coligação, diante das lamentáveis circunstâncias.

Aécio cancela agenda no RN e PB após acidente de avião de Campos

Aécio Neves (PSDB) desembarcou no RN por volta das 12h30, antes de ser confirmada a morte do candidato Eduardo Campos (PSB) (Foto: Felipe Gibson/G1)
O candidato a Presidência da República, senador mineiro Aécio Neves (PSDB) cancelou a agenda que teria no Rio Grande do Norte e na Paraíba nesta quarta-feira (13) após tomar conhecimento da queda do avião em que estava o presidenciável Eduardo Campos (PSB). O jatinho caiu em Santos no início da tarde desta quarta e Eduardo Campos morreu. "Estou absolutamente perplexo com a notícia do acidente com o voo de Eduardo Campos e estou cancelando todas as agendas", disse Aécio Neves ao desembarcar em Natal por volta das 12h30.
"Estamos aguardando informações oficiais. Esperando e rezando para que as notícias sejam positivas", disse Aécio, que no momento da declaração não sabia da morte de Campos. Aécio iria visitar a fábrica da Guararapes, em Extremoz, na região metropolitana de Natal, e faria uma caminhada no bairro do Alecrim, na Zona Leste da capital. O candidato desembarcou no Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, falou com a imprensa e embarcou com destino a São Paulo.

Governador Ricardo Coutinho está na Granja Santana, mas emocionado evitar falar sobre morte de Eduardo Campos...

rc
O governador Ricardo Coutinho (PSB) está na Granja Santana, residência oficial do Governador do Estado, neste momento, mas muito emocionado evita falar na morte do colega de partido, o ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, que faleceu na manhã desta quarta-feira (13), em decorrência de um acidente de avião na cidade de Santos (SP). 
No último sábado, o presidenciável e sua vice, Marina Silva (PSB), estiveram na Paraíba para cumprir agenda de campanha com Ricardo. Pela manhã, eles visitaram o Condomínio Cidade Madura, em João Pessoa, concederão coletiva à imprensa e participaram da inauguração do comitê do cantor Vital Farias, candidato a deputado federal.
No início da tarde, Eduardo e Campos visitaram o Hospital do Câncer na cidade de Patos, no Sertão. Em seguida almoçaram com prefeitos e lideranças da região.

Tragédia: Eduardo Campos morre em acidente aéreo ocorrido agora a pouco em Santos...

Acabou de ser confirmada, pela Band News, da morte do candidato Eduardo Campos após acidente aéreo em Santos. Aconteceu agora: O candidato a Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, estaria a bordo da aeronave que caiu em Santos na manhã desta quarta-feira (13), segunda informações da agência de notícias Reuters. A agência também informou que a vice na chapa de Eduardo, Marina Silva, não estava a bordo do jato. A assessoria do PSB confirmou a informação para o jornal O Globo.

Marqueteiro faz novas revelações, diz não aceitar dinheiro de Caixa 2 e lamenta amadorismo da campanha de RC; Veja entrevista na íntegra...

Fernando-Veloso
O marqueteiro Fernando Velloso (foto), escolhido para fazer a campanha eleitoral do governador Ricardo Coutinho (PSB), depois dispensado da função, semana passada, abriu a ‘caixa preta’ dos bastidores que resultaram em sua saída da coordenadoria de Comunicação do socialista. As revelações de Velloso vão desde a falta de pagamento do seu trabalho ao amadorismo das pessoas que o governador escolheu para estar na linha de frente de sua candidatura na tentativa de voltar ao Palácio da Redenção.
Uma declaração de Velloso que chamou a atenção foi referente à falta de pagamento dos quatro meses em que ficou responsável pela imagem de Ricardo. Em seu depoimento, ele afirma taxativamente que não aceitaria receber dinheiro de Caixa 2 de campanha. “Pagamento se faz e se prova que se fez. Eu não vou receber trabalho de campanha de caixa 2. Não receberei em espécie. Desde a hora que cheguei, eu teria um contrato e teria os pagamentos feitos em conta corrente. Até hoje não foi feito. Isso é um golpe, é um trambique. Vou cobrar na justiça até o último centavo. Vou buscar e eles não provam que me pagaram nem um tostão”, declarou.
O marqueteiro se queixou também do amadorismo do radialista Célio Alves, que trabalha na coordenação da campanha de Ricardo. Ele criticou a postura do comunicador sobre a fabricação de uma ‘pegadinha’ para tentar incriminar o candidato do PSDB, Cássio Cunha Lima. “Eu fiquei irritadíssimo, dar uma coletiva dizendo que era um escândalo que ia anunciar e não era coisa nenhuma, era uma pegadinha de telefone celular. Eu disse, moço: como é que se apresenta o diabo de um fato como uma denúncia sem provar nada? E o coordenador, ao invés de levar as provas, tratou de agredir um radialista que fez a primeira pergunta a ele. A coletiva não aguentou uma pergunta”, disparou ao lamentar a falta de experiência de Célio Alves. “Como a pessoa comanda uma campanha desse tamanho, de governador, sem ter experiência de ter comandado uma campanha de vereador?”, indagou.
As revelações de Fernando Velloso não pararam por aí. Em uma parte da entrevista, ele afirma que o governador não aceitava sugestões para melhorar sua  imagem. “Não tem consultoria que funcione, né, amigo. São erros políticos gravíssimos que o governo vem cometendo e eu apontei esses erros. Tem correspondência minha apontando os erros e as pessoas não gostam e começou a ter dificuldades dentro do comando da campanha, de relacionamentos, porque eu passei a entender que é um negócio complicado. Ninguém fala, ninguém dá sugestão, nem aponta os erros. É meu dever fazer isso, não é verdade”, desabafou ao lamentar as crises freqüentes da gestão. 
“O candidato briga com o vice, briga com os deputados, briga com o mundo todo, briga com quem até já morreu. O candidato deu uma entrevista aí outro dia batendo no ex-governador que é falecido há anos. Onde danado você já viu a pessoa bater em quem já tá morto? O morto se defende? Briga com o prefeito de Campina Grande, o que é que eu to dizendo? Eu escrevo para o governador dizendo “governar é corrigir”, ensinou Confúcio. O prefeito está dizendo que o senhor discrimina prefeito? Chame o prefeito para o Palácio e receba. O prefeito vai perder o discurso. Se o senhor disser: não tem essa dificuldade não, eu governo para todos. Prefeito Romero, venha ao gabinete amanhã que eu lhe recebo. É um gesto de grandeza do governador. Ele ficou irritadíssimo com essa minha sugestão”, sustentou.
Confira a íntegra da entrevista do marqueteiro Fernando Velloso.

Falta de pagamento
"Na verdade, a minha expectativa era de que a Assessoria da campanha pudesse colocar de forma clara para a opinião pública as razões claras desse destrato. Na verdade, a gente teve dificuldade com a coordenação da campanha, do ponto de vista de estratégia, de visão, do que deveria ser feito, e a campanha não honrou, até agora, quatro meses de trabalho que venho fazendo e cobrando insistentemente. Então, houve uma apropriação do trabalho que foi feito. O governo e o candidato se beneficiaram disso. Todo o planejamento da campanha política está pronto e sendo produzido, e aí, nessa hora, eles não pagam, e eles tentam fazer a campanha. A mim vão pagar porque vou colocar na Justiça. Não pagaram nem um tostão. Pagamento se faz e se prova que se fez. Eu não vou receber trabalho de campanha de caixa 2. Não receberei em espécie. Desde a hora que cheguei, eu teria um contrato e teria os pagamentos feitos em conta corrente. Até hoje não foi feito. Isso é um golpe, é um trambique. Vou cobrar na justiça até o último centavo. Vou buscar e eles não provam que me pagaram nem um tostão".

Crises do governo Ricardo Coutinho
"Elevamos a aprovação do governo que faz tudo errado, faz pra não subir. Nesse período, o governo não ajudou e o candidato também não ajudou. E o governo não ajudou porque é uma usina de crise. É crise na UEPB, é crise nos hospitais, é crise na segurança, é crise na relação com a classe política, é crise com o vice-governador.
O candidato briga com o vice, briga com os deputados, briga com o mundo todo, briga com quem até já morreu. O candidato deu uma entrevista aí outro dia batendo no ex-governador que é falecido há anos. Onde danado você já viu a pessoa bater em quem já tá morto? O morto se defende? Briga com o prefeito de Campina Grande, o que é que eu to dizendo? Eu escrevo para o governador dizendo “governar é corrigir”, ensinou Confúcio. O prefeito está dizendo que o senhor discrimina prefeito? Chame o prefeito para o Palácio e receba. O prefeito vai perder o discurso. Se o senhor disser: não tem essa dificuldade não, eu governo para todos. Prefeito Romero, venha ao gabinete amanhã que eu lhe recebo. É um gesto de grandeza do governador. Ele ficou irritadíssimo com essa minha sugestão. Aí não tem consultoria que funcione, né, amigo. São erros políticos gravíssimos que o governo vem cometendo e eu apontei esses erros. Tem correspondência minha apontando os erros e as pessoas não gostam e começou a ter dificuldades dentro do comando da campanha, de relacionamentos, porque eu passei a entender que é um negócio complicado. Ninguém fala, ninguém dá sugestão, nem aponta os erros. É meu dever fazer isso, não é verdade?"

Trabalho como marqueteiro de Ricardo Coutinho
"O mais absolutamente ridículo que eu vi no material que divulgaram é que não havia, da campanha, a aprovação ao desempenho do nosso trabalho. A campanha criou todas as dificuldades depois que o trabalho estava todo prontinho, todo arrumado e eles estão usando depois que posicionamos corretamente o governo, e o governo, timidamente, subiu. Quando começou, agora, vamos montar a equipe de televisão, aí a produtora não montou nada como eu orientei, fizeram uma equipe fraca, uma equipe amadora. Não vai a canta nenhum. Eu, pessoalmente, quero dizer que saio satisfeitíssimo por ter conseguido um êxito extraordinário".

O amadorismo da Coordenação da campanha e críticas a Célio Alves
"O coordenador geral que criaram aí quer que a gente faça panfleto de campanha para sujar as ruas. Isso é de uma bobagem sem comparação. É um radialista que foi ali outro dia e eu fiquei irritadíssimo, dar uma coletiva dizendo que era um escândalo que ia anunciar e não era coisa nenhuma, era uma pegadinha de telefone celular. Eu disse, moço: como é que se apresenta o diabo de um fato como uma denúncia sem provar nada? E o coordenador, ao invés de levar as provas, tratou de agredir um radialista que fez a primeira pergunta a ele. A coletiva não aguentou uma pergunta. Como é que você chega a coordenar uma campanha de governador? Depois de você coordenar várias campanhas de deputados, fazer parte de equipes, ter experiência, ir lá e fazer o cargo maior. Ninguém entra como general no Exército, o sujeito entra como recruta. Então, como a pessoa comanda uma campanha desse tamanho, de governador, sem ter experiência de ter comandado uma campanha de vereador? O radialista, acho que Célio Alves, não é esse o nome dele?".

Testemunha de Jeová que impedir transfusão não comete crime, diz STJ, que inocentou pais acusados de homicídio

Dois ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça) concederam um habeas corpus no qual dizem que não é homicídio quando pais seguidores da religião Testemunhas de Jeová impedem médicos de fazerem transfusão de sangue em seu filho. Os médicos deveriam ter feito a transfusão independentemente da vontade dos pais, como determina a ética médica, segundo os votos dos ministros Sebastião Reis e Maria Thereza.
O Tribunal de Justiça de São Paulo havia decidido em 2010 que os pais deveriam ir a júri popular por homicídio doloso --quando há intenção de matar. Os dois votos do STJ mudaram essa decisão. O Ministério Público sustentava que os pais mataram a filha por motivos religiosos ao impedir a transfusão. O caso ocorreu em 1993, em São Vicente, no litoral paulista.
A garota Juliana Bonfim da Silva, 13, sofria de leucemia grave e ficou dois dias internada sem receber sangue porque os pais --um policial reformado e uma lavadeira-- impediram o procedimento. Ainda faltam dois ministros votarem o habeas corpus, mas se der empate a decisão reverte para os réus. Ou seja, os pais já ganharam o recurso no STJ. "É um julgamento histórico porque reafirma a liberdade religiosa e a obrigação que os médicos têm com a vida. Os ministros entenderam que a vida é um bem maior, independente da questão religiosa", afirma Alberto Toron, que defende os pais da menina.