segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Lídia Moura mantém porta aberta do PMN para Cartaxo caso PSD cria dificuldades para sua candidatura ao governo

A secretária de Políticas para Mulheres da Prefeitura de João Pessoa, Lídia Moura, que até bem pouco tempo comandava o PMN na Paraíba, reafirmou hoje durante entrevista ao programa Café Com Notícia, da TV Master, que as portas do partido estão abertas para o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), caso ele encontre dificuldade para conseguir legenda no PSD para disputar o governo do Estado em 2018.
Lídia disse acreditar que Cartaxo não encontrará resistência a sua candidatura no atual partido, mas fez questão de reafirmar que o PMN está a disposição do alcaide. “Temos total confiança do deputado federal Rômulo Gouveia, que comando o PSD na Paraíba, mas como primeiro partido que anunciou apoio a Luciano Cartaxo na sua pré-candidura, continuamos de portas abertas caso haja necessidade”.
Este final de semana, o prefeito Cartaxo, participou de um reunião do PMN que contou com a presença do presidente nacional do partido, Carlos Massarolo, e por isso voltaram as especulações de que o prefeito poderia ainda trocar de legenda. Pela nova legislação eleitoral, o prefeito teria até abril do próximo ano para trocar de partido. O prazo coincide com o limite que o prefeito tem para renunciar ao seu mandato para disputar a eleição de 2018.

domingo, 19 de novembro de 2017

MPF vai investigar desvio de verbas em Patos, Emas e Igaracy. e mais sete cidades...

O MPF vai apurar denúncias de fraudes em licitações e execuções de obras públicas de infraestrutura, utilização irregular de recursos públicos federais na aquisição de eletrodomésticos e mobílias destinadas às escolas da rede municipal de ensino, desvios de verbas da educação, problemas em melhorias sanitárias domiciliares e mal uso de recursos para festa.
Em Patos, o inquérito surge a partir de provas colhidas na Operação Desumanidade deflagrada no ano 2016 a respeito de fraudes em licitações e execuções de obras públicas nos municípios da região, notadamente em Patos e Emas. As fraudes investigadas envolveram mais de R$ 11 milhões em recursos públicos. Além de Patos, estão sendo investigadas as prefeituras de Santa Rita, Emas, Conde, Santo André, Massaranduba, Serra Branca, Junco do Seridó, Igaracy e Fagundes.

sábado, 18 de novembro de 2017

Enivaldo vê dificuldade, mas admite possibilidade de aliança com Ricardo: “Nada é impossível”

“Em política nada é impossível”: a frase já tantas vezes repetida pelo senador José Maranhão (PMDB) volta à cena esta semana na boca de outro decano da política paraibana, o presidente do PP na Paraíba, Enivaldo Ribeiro. Alinhado atualmente ao grupo das oposições, Enivaldo disse que não descarta aliança com qualquer partido, nem mesmo o PSB do governador Ricardo Coutinho, a quem sua filha, a deputada Daniella Ribeiro (PP), faz oposição na Assembleia Legislativa.
O vice-prefeito de Campina Grande ressalta que, pessoalmente, teria dificuldades com essa possível aliança, mas que, como presidente do partido, não pode colocar suas inclinações pessoais à frente das decisões do grupo. “Eu sou presidente, então tenho que ouvir a todos. Em política nada é impossível. Pode haver muita dificuldade. Para mim seria uma coisa difícil fazer qualquer composição com o governador, mas o partido não sou eu, são outras pessoas. Além do mais, nós estamos sintonizados com os partidos de oposição, então fica muito complicado isso daí”.
Enivaldo lembrou que a primeira visita de Ricardo Coutinho à Campina Grande durante pré-campanha ao governo ocorreu por incentivo de Daniella Ribeiro: “A primeira visita que ele fez à Campina foi trazido por Daniella e por mim e almoçou aqui na minha casa. Você tem que manter relações, manter amizades e ele tem essa dificuldade”, criticou.
Enivaldo também comentou a sugestão do presidente da Câmara de João Pessoa, vereador Marcos Vinícius de unir todas as lideranças do estado em um único projeto político eleitoral. Embora considere impossível, ele vê a proposta com bons olhos: “Quando você vê Cássio com Maranhão, pronto, não precisa dizer mais nada. Maranhão tirou o mandato de Cássio e hoje estão conversando. Se acontecesse isso seria bom para a Paraíba. Ter um só candidato, fazer uma campanha bacana, de resultados, mas acho que é impossível por conta dos interesses pessoais”, comentou.

Cruz do Espírito Santo, Emas, Igaracy, Olho D'água, Piancó e mais 13 cidades da PB têm pendências com a União e podem ter os recursos do FPM bloqueados

Dezoito municípios paraibanos podem não receber o segundo decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de novembro, previsto para ser creditado nas contas das prefeituras na próxima segunda-feira (20). Essas cidades fazem parte do grupo de entes da federação cujos repasses do FPM estão bloqueados, seja pela Secretaria da Receita Federal, pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional ou pelo Ministério do Planejamento.
Na Paraíba, é o caso de Cruz do Espírito Santo, Curral De Cima, Emas, Igaracy, Mari, Monteiro, Mulungu, Nova Floresta, Nova Palmeira, Olho D’água, Pedro Regis, Piancó, Riacho dos Cavalos, Santa Teresinha, São Bento de Pombal, São José de Princesa, São José dos Cordeiros e Taperoá. As cidades que não resolverem as pendências até a data da liberação dos recursos, ou seja, até a próxima segunda-feira, poderão identificar o repasse no extrato bancário, mas o recurso estará bloqueado para saques, transferências e outras operações.
O bloqueio do FPM geralmente ocorre quando o município não realiza ou atrasa o pagamento do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), ou possui dívidas com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). As cidades devem se encaminhar ao órgão responsável para regularização e desbloqueio dos recursos.
De acordo com estimativa divulgada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), as prefeituras paraibanas receberão R$ 23.642.946,11, em valores brutos. A quantia representa uma redução de R$ 3.228.921,68 em relação ao mesmo período do ano passado, quando as prefeituras receberam R$ 26.871.867,79.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Genival Matias acompanha o governador RC durante "Caravana TransParaíba"

O deputado estadual Genival Matias (Avante) acompanhou a “Caravana TransParaíba”, liderada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), nesta terça-feira (14), nos municípios de Soledade e São Vicente do Seridó, duas das sete localidades do Curimataú paraibano que serão beneficiadas com a obra do sistema adutor.
Na ocasião, o governador assinou a Ordem de Serviço do Sistema Adutor TransParaíba que, com 350 km de extensão, levará as águas do Rio São Francisco do açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) para as residências de cerca de 150 mil habitantes de 19 municípios paraibanos, sendo: Boa Vista, Soledade, Boqueirão, São Vicente do Seridó, Cubati, Sossego, Baraúna, Picuí e Frei Martinho, na primeira etapa; e, Juazeirinho, Olivedos, Pedra Lavrada, Nova Palmeira, Cuité, Nova Floresta, Barra de Santa Rosa, Damião, Cacimba de Dentro e Araruna, no segundo momento de conclusão das obras.
Genival Matias, em nome dos correligionários e aliados das cidades de Soledade e São Vicente do Seridó, agradeceu o trabalho do Governo do Estado em prol da população da região."Essa região vem sofrendo muito com a escassez de água e essa obra trará dignidade para o povo e desenvolvimento para essas cidades. Agradeço ao governador Ricardo Coutinho e ao secretário João Azevedo por essa obra de grande relevância que irá melhorar a vida desses paraibanos”, frisou Genival.
Ainda durante a passagem pelos municípios, o presidente do Avante e o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Gervásio Maia, foram recepcionados por diversos aliados que massificaram o apoio aos dois parlamentares com forte atuação no Curimataú. “Eu e Gervasinho estivemos reunidos com amigos e diversas lideranças, que nos proporcionaram uma calorosa recepção, e eu só tenho a agradecer a confiança no nosso trabalho em prol do povo da Paraíba”, finalizou Genival.

Pré-candidato a estadual, professor Ivo Filho consolida nome na educação...

Pré-candidato a deputado estadual, o professor Ivo Filho (PPS) vem se consolidando na área de educação com apoio de diversos professores e alunos de todo o Estado. "Com essa política desacreditada que estamos vivenciando, o importante é somar forças para construirmos uma nova política que pense no povo e para o povo, através de ações, e não discursos", afirmou. A educação é o nosso projeto. Sem ela, qualquer sociedade estará na iminência do fracasso",  acrescenta Ivo Filho, que já acumula o apoio de centenas de professores e milhares de alunos por toda a Paraíba.
 

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Berg Lima abre mão de assumir vaga na ALPB com licença de Genival Matias. Veja:

O prefeito afastado da cidade de Bayeux, Berg Lima, tornou público documento em que abdica do direito de assumir vaga na Assembleia Legislativa da Paraíba. Berg é suplente de deputado e assumiria cadeira do deputado Genival Matias, que vai licenciar-se da ALPB.
Na carta, Berg destaca que tem fé que “a ardilosa armação” contra ele está “prestes a ser elucidada”. Leia abaixo o documento:

Vice-presidente da FPF, Nosman Paulo vai disputar vaga de deputado federal

IMG-20171113-WA1001
O presidente estadual do Avante, deputado Genival Matias, filou nesta segunda-feira (13), Nosman Paulo, vice-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF). Nosnan vai disputar uma vaga à Câmara Federal. O dirigente desportista é da região de Itaporanga e tem representatividade em todo estado com foco no apoio ao esporte.
Genival, que oficializou a licença da Assembleia Legislativa, hoje, vai se dedicar ao fortalecimento do partido nesses quatro meses que estará afastado da ALPB. O objetivo do Avante é eleger três deputados federais e cinco estaduais

domingo, 12 de novembro de 2017

Em João Pessoa, padre Reginaldo Manzotti vive dia de gari após fazer show n cidade

Em João Pessoa, Padre Reginaldo Manzotti vive dia de gari após fazer show na cidade
Depois de fazer um show na cidade de João Pessoa, na noite deste sábado (11), o Padre Reginaldo Manzotti passou pela experiência de trabalhar como um dos garis, na Capital, durante este domingo. Quem prestou atenção nos agentes de limpeza urbana da Emlur na orla de João Pessoa foi surpreendido com a novidade.
A participação aconteceu para  gravar um quadro para o seu programa de TV, o REDEVIDA evangeliza, na Rede Vida. Fardado e com o apoio da Emlur, o padre pegou no pesado trabalhando na coleta dos resíduos e ainda participou da varreção da ciclofaixa na praia do Cabo Branco. O padre entrevistou os garis e fotografou com fiéis que o reconheceram na rua.
 

Moradores "celebram" 50 anos de esgoto na principal avenida de Itaporanga

Resultado de imagem para esgoto getúlio vargas itaporanga 
Moradores de Itaporanga colocaram uma placa de comemoração a um esgoto a céu aberto que, segundo eles, já tem 50 anos “de tradição”.
O esgoto em questão fica na principal avenida da cidade – a Getúlio Vargas. O lugar fica em frente a uma agência do Banco do Brasil e a 50 metros do prédio da prefeitura.
Segundo moradores, o entupimento no local é recorrente e causa mau-cheiro e prejuízo aos comerciantes que possuem lojas perto do esgoto.

Mercado já enxerga Bolsonaro como opção contra Lula na disputa de 2018

Imagem relacionada
Não é segredo para ninguém quem os economistas e os analistas de instituições financeiras - o chamado "mercado" - preferem ver na disputa presidencial do ano que vem: o ministro da Fazenda Henrique Meirelles e os tucanos Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, e João Dória, prefeito da capital. Mais recentemente, porém, um elemento estranho foi anexado à lista: o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ).
O capitão da reserva do Exército Brasileiro passou a angariar apoio após desbancar os preferidos do mercado nas pesquisas eleitorais e despontar como rival do ex-presidente Lula no segundo turno. O próprio Bolsonaro se deu conta do trunfo. Enquanto Lula seguia pelo interior do Brasil numa caravana sem paz ou amor pelas reformas, Bolsonaro chegou a se reunir com investidores em Nova York, apoiado pelo banqueiro Gerald Brant, da firma de investimentos Stonehaven.
O seu novo combo econômico fala de Estado mínimo, eficiente e livre da corrupção; prega a redução do juro para 2%; e até aceita privatizações - algo no mínimo esquisito para um nacionalista de carteirinha que considera um perigo o avanço global chinês. Devagar, ele vai se tornando palatável. Em agosto, a XP Investimentos, a maior corretora independente do país, fez uma pesquisa com 168 investidores institucionais e 400 assessores traçando cenários em caso de vitória dos presidenciais mais óbvios.
À época, a Bolsa brasileira estava na casa dos 65 mil pontos. Para 95% deles, a Bolsa ficaria abaixo de 60 mil pontos se Lula vencesse as eleições. Sob Bolsonaro, esse cenário era visto por 78%. Para 31%, uma vitória do petista levaria o dólar acima de R$ 4,10. No caso de Bolsonaro, apenas 15% desenham esse cenário. Ou seja, entre Lula e Bolsonaro, o segundo faria um estrago menor.
A própria equipe da XP estranhou o resultado. "O Bolsonaro falava em estatizar companhias, agora diz que tem de diminuir o tamanho do Estado. Ele gera imprevisibilidade", afirma Celso Plácido, estrategista-chefe da XP Investimento. Quem tem estrada no mercado financeiro tece tece explicações para fenômeno. "Pela conversa com investidores, o Lula hoje é um problema. Pode ser disruptivo. O Bolsonaro tenderia a causar um estresse menor no mercado", avalia Raphael Figueiredo, sócio-analista da empresa de análise Eleven Financial.   

PSDB sairá do governo Temer pela porta da frente, só que deitado; os partidos do 'Centrão' já se prontificaram a carrear alça do caixão...

Resultado de imagem para aécio convenção do psdb de minas gerais
Após exibir sua má reputação numa convenção estadual do PSDB em Minas Gerais, Aécio Neves trocou um dedo de prosa com os repórteres. A certa altura, disse haver no PSDB “um convencimento de todos'' de que está chegando o momento de deixar o governo. Hã, hã… ''Vamos sair do governo pela porta da frente, da mesma forma que entramos'', declarou Aécio. De fato, o tucanato sairá pela mesma porta que entrou. Mas numa posição diferente.
Os tucanos discutem a hipótese do desembarque há quase seis meses. As ameaças soam em ritmo diário desde que o grampo do Jaburu explodiu nas manchetes. Mas seus quatro ministros tucanos a rotina. Cumprem a agenda, levantam da poltrona e saem do ministério no fim do dia. Cumprem a agenda, levantam da poltrona e saem. Cumprem a agenda, levantam e saem. Cumprem a agenda, levantam e saem. Aproxima-se o dia em que os ministros tucanos sairão dos ministérios sem se levantar.
Pressionado, Temer prepara a execução. E os partidos do centrão já se prontificaram a carregar a alça do caixão. Ou seja: o PSDB sairá do governo pela porta da frente, como prevê Aécio, só que deitado.

Cássio prevê união das oposições mantida em 2018 e diz que, se preciso, ficará fora da disputa do ano que vem

Cássio prevê união das oposições mantida em 2018 e diz que, se preciso, ficará fora da disputa do ano que vem
“Para construir a unidade, se for preciso, ficarei fora da disputa eleitoral de 2018”. A declaração foi dada na tarde de ontem, pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB), durante convenção do partido, em João Pessoa. O tucano disse que reunirá todos os esforços para que, em 2018, a união das oposições, firmada em 2016, seja mantida. 
O senador citou os nomes de Cartaxo, Romero e Maranhão como grande solução. Na ocasião, Maranhão ratificou a disposição de disputar o cargo de governador da Paraíba. “Vou concentrar todos meus esforços para manter esse grupo unido e coeso. Eu já disse e vou repetir, se for preciso, ficarei fora da disputa em 2018 para construir essa unidade. Já fui governador do meu estado e já servi à Paraíba por mais de trinta anos. Ainda posso disputar outras eleições, mas o meu grande objetivo é trabalhar pela unidade do grupo e não tenho dúvidas que estaremos juntos, porque o amor que temos à Paraíba no une”, declarou.

Vice-presidente da CMCG defende saída de Romero do PSDB para disputar governo

A paciência dos aliados de Romero Rodrigues com o PSDB tem se esgotado. Alguns deles já não fazem segredo do desejo de vê-lo disputando o governo do Estado por outra sigla. O motivo, na avaliação deles, é a proximidade do partido de uma eventual candidatura do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD). A cúpula da agremiação, aos poucos, se aproxima da tese de apoio dentro da aliança das oposições, mesmo que não seja a um tucano. Um dos entusiastas da tese de deixar o partido é o vice-presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereador Márcio Rodrigues. Ele é primo do gestor campinense e vê como cada vez mais distantes as chances de o tucano representar a sigla em uma disputa estadual, caso permaneça onde está.
Márcio Rodrigues, que também é vice-presidente estadual do PSDC, diz acreditar que Romero tem um nome melhor forjado para a disputa. “É um nome melhor que o de Luciano Cartaxo”, ressaltou. Romero Rodrigues não tem escondido de ninguém o desconforto com a falta de apoio dentro da sigla para a disputa do governo. A posição do presidente estadual do partido, Ruy Carneiro, é a de que o grupo precisa estar unido para enfrentar o esquema do governador Ricardo Coutinho (PSB). Para isso, ele espera contar com PSDB, PMDB e PSD em uma chapa para o governo do Estado. Neste sentido, quem tiver melhor posicionado nas pesquisas, encabeça a chapa.
Os nomes colocados pela oposição para a disputa do governo inclui além de Romero e Cartaxo, os nomes dos senadores Cássio Cunha Lima (PSDB) e José Maranhão (PMDB). O nome do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) é citado com frequência, apesar da pouca densidade eleitoral.

Ofuscado por Cartaxo, durante a convenção do PSDB, Romero já admite que alguém terá de abrir mão...

Ofuscado pelo prefeito de João Pessoa e pré-candidato a governador, Luciano Cartaxo (PSD), na convenção do PSDB, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB) e também pré-candidato, já fala em desprendimento e em buscar espaços na chapa majoritária. Na ocasião, aliados ovacionaram Cartaxo na chegada ao evento, o colocando como pré-candidato ao governo pela oposição.
“Alguém vai ter que abrir mão em determinado período, evidentemente buscando os espaços disponíveis na chapa majoritária”, declarou. Apesar de admitir que alguém vai ter que desistir em algum momento, Romero voltou a dizer que está disposto a disputar o Governo do Estado. “Coloco meu nome à disposição do partido sim, mas sem exigências e imposição”, citou.
Enquanto Romero se via como um estranho no ninho, Cartaxo se sinta em casa durante a convenção. A convenção do PSDB aconteceu na tarde deste sábado (11), na sede da Asplan, no Centro de João Pessoa (PB). 

sábado, 11 de novembro de 2017

Na convenção do PSDB, José Maranhão pede desculpas à Cássio por divergências ao longo do tempo e afirma que mantém sua candidatura ao governo

Quem roubou a cena durante a Convenção Estadual do PSDB, na tarde deste sábado, foi o senador José Maranhão (PMDB). Adversário histórico dos tucanos, o peemedebista fez questão de dirigir o seu discurso em direção do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e se disse arrependido das brigas do passado e fez um pedido de desculpas.
“Já perdemos muito tempo com nossas divergências, agora vamos nos unir por nossas convergências”, declarou Maranhão em direção ao senador tucano e a dona Glória Cunha Lima, que ladeava o filho. Maranhão, no entanto, garantiu que permanece como pré-candidato ao governo em 2018. Zé chegou atrasado ao evento e foi ovacionado em sua chegada.
Questionado pela imprensa se seu nome ainda estaria colocado para a disputa, Maranhão foi categórico ao dizer que a sua pré-candidatura está “mais forte do que nunca”. Na oportunidade, o senador falou ainda sobre a importância da unidade dos políticos em prol do estado e destacou o momento de crise na política nacional para justificar a sua participação no evento do PSDB.
“A Paraíba precisa unir, nós já perdemos muito com as divisões. Eu acho que é um momento de convergência na direção de um entendimento que faça com que os políticos possam superar as suas divergências de natureza partidária para somar os potencias em favor do estado e do país”, declarou o peemedebista.

Principais lideranças da oposição comparecem à convenção do PSDB e criticam Ricardo Coutinho

Convergência, unidade e projeto conjunto foram as palavras mais ouvidas durante a Convenção do Estadual do PSDB. O evento reuniu, para a surpresa de muitos, as principais lideranças dos partidos de oposição no Estado. Estavam lá os prefeitos de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD); Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), e os senadores José Maranhão (PMDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB). Os três primeiros, vale ressaltar, têm protagonizado uma briga renhida para encabeçar a chapa das oposições. Dos quatro, Maranhão, aquele que mais tem defendido a própria candidatura, fez o discurso mais voltado para a unidade. Ele alegou que já se perdeu muito tempo com o que separa o grupo e que a hora é de buscar a convergência.
O mesmo discurso foi adotado por Romero Rodrigues, outro que constantemente demonstra irritação com o próprio partido. Ele defende que a sigla tenha candidatura própria, porém, durante a convenção, admitiu que poderá votar em outro nome que não seja do PSDB. Ele alega que quem está na política está para ser votado, mas também para votar. Ele alegou, com isso, que não vai forçar uma candidatura a todo custo. O discurso segue no mesmo sentido do adotado pelo prefeito Luciano Cartaxo. O pessedista disse, durante entrevista, que os partidos de oposição vão compor um plano de governo comum. As experiências de João Pessoa e Campina Grande, segundo ele, serão essenciais para que o grupo dialogue com a população.
A convenção do PSDB confirmou a recondução de Ruy Carneiro para a presidência do partido no Estado. O tucano, ao lado do senador Cássio Cunha Lima, têm sido os maiores defensores da unidade. Cássio, inclusive, garante que haverá espaço para todas as siglas na chapa majoritária. Há as vagas para candidato ao governo, a vice, dois senadores e quatro suplências. A meta é também unir o grupo para eleger uma chapa consistente para a Câmara dos Deputados e para o Senado. O adversário comum, citado nas entrevistas, é o esquema do governador Ricardo Coutinho (PSB). A aposta é a de que o socialista lance João Azevedo para a disputa. Entre as lideranças da oposição, ninguém acredita que o gestor não será candidato a uma das vagas no Senado.

Tratado como candidato a governador na convenção do PSDB, Cartaxo quer nome de Campina Grande para vice...

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), se mostrou muito à vontade durante a Convenção Estadual do PSDB, neste sábado (11). O pessedista reafirmou o desejo de ser candidato ao governo no ano que vem e deixou clara a pretensão de ter um vice de Campina Grande na chapa. “Essa é uma chapa que não pode faltar, João Pessoa e Campina Grande têm que dar as mãos e, claro, trabalhar para toda a Paraíba”, disse o gestor, sem esconder a empolgação. Ele foi uma das lideranças da oposição que compareceram ao evento, a convite do presidente reeleito da sigla, Ruy Carneiro. O tucano trabalha para que os partidos que se opõem ao governador Ricardo Coutinho (PSB) companham uma chapa única.
Ao ser questionado sobre a unidade pretendida, Cartaxo disse ser este o melhor caminho para a Paraíba. “Formar uma chapa forte, competitiva, com um bom programa de governo para fazer a Paraíba avançar mais, preservar o que está sendo bem feito, melhorar o que precisa melhorar e fazer o novo, inovar, como nós temos feito aqui em João Pessoa”, ressaltou. “É este o desafio que está posto para todos nós, um projeto que vai além de um candidato, de um partido, de um grupo político, que possa preservar um sentimento de mudança que está presente aqui na Paraíba”, acrescentou o gestor. O discurso, vale ressaltar, ataca frontalmente o do governador Ricardo Coutinho, que defende a eleição do sucessor para manter “o modelo de gestão socialista”.
Cartaxo aproveitou ainda a entrevista para demonstrar empenho na tentativa de atrair o PSDB para a chapa majoritária do PSD. Ele alega que a composição de João Pessoa com Campina Grande, a base eleitoral do senador Cássio Cunha Lima e do prefeito Romero Rodrigues, dão o tom de uma união estadual. Ele alega que quando as duas cidades “dão as mãos, a Paraíba avança muito”. O ninho pessedista sonha com a presença de Romero na chapa, porém, outro nome que salta aos olhos é o do deputado federal Pedro Cunha Lima, filho de Cássio. Na composição, o PMDB teria vaga para a disputa do Senado e o nome da vez é a busca pela reeleição do senador Raimundo Lira. Cássio já deu declarações de que a sua prioridade é a disputa da reeleição. (Por Josusmar Barbosa)

Com vigência da nova lei trabalhista, ministro prevê extinção de 3 mil sindicatos...

Com o início da vigência da nova lei trabalhista neste sábado (11), a contribuição sindical obrigatória, que era cobrada no valor de um dia de salário de cada trabalhador, deixa de existir e, por conta disso, deverão desaparecer mais de três mil sindicatos. A avaliação foi feita pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em entrevista ao G1.
Atualmente, segundo o ministro, há 16,8 mil sindicatos no Brasil, dos quais 5,1 mil são patronais e 11,3 mil, representa os trabalhadores. “Eu acredito que deverá reduzir em 30% dos 11,3 mil sindicatos [dos trabalhadores]”, pontuou Nogueira, dizendo que essa redução vai acontecer porque parte dos sindicatos vai se fundir a outros.
Segundo Ronaldo Nogueira, os sindicatos dos trabalhadores que tendem a desaparecer são aqueles que não realizaram, nos últimos três anos, acordos coletivos, considerados por ele como uma das “razões fundamentais da organização sindical”.
“A grande realidade é que o movimento sindical no Brasil vai ter de olhar para dentro e vai ter de se reconstituir no sentido de voltar a ter representação sindical por categoria. Para que os acordos coletivos de trabalho, que tenham força de lei, possam ser deliberados por um sindicato forte. E que realmente ofereça uma contraprestação ao trabalhador, que vai contribuir com alegria”, declarou.

Oposição em São João do Tigre se reúne com o deputado Genival Matias e mantém-se firme no apoio à sua reeleição

A imagem pode conter: 12 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, sapatos e área interna
O deputado estadual Genival Matias, presidente do Avante na Paraíba, esteve reunida com o bloco da oposição do município de São João do Trigre que reafirmou seu compromisso com a reeleição do parlamentar, nas eleições de 2018. O encontro aconteceu na cidade de Monteiro.
Estiveram presentes Sérgio Freitas, presidente municipal do Avante, Sandra Freitas, que foi candidata a prefeita em 2016, Alesandro, que foi candidato a vice-prefeito, Paulo da Carreta, vereador Cachexa, Paulinho de Sunsa, Biba, Marcondes, Natan e o advogado Dr. Jonathan. Gustavo, filho de Paulo da Carreta, também estava presente.
Segundo Sérgio Freitas, a oposição segue unidade e forte no apoio à reeleição de Genival Matias e juntos trabalham pelo desenvolvimento do município com a implementação de ações parlamentares e governamentais levadas pelo deputado para São João do Tigre.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Maioria da bancada não demonstra interesse e a Paraíba perdeu recursos pra obras do Canal do Piancó

Imagem relacionada
Exceto o senador Zé Maranhão (PMDB) e os deputados federais Pedro Cunha Lima (PSDB), Benjamim Maranhão (SD) e André Amaral (PMDB), os demais parlamentares paraibanos não mostraram interesse na defesa das obras do Canal do Piancó, o terceiro eixo da transposição do Rio São Francisco.
A emenda de bancada da Paraíba no valor de R$ 162 milhões chegou a ser disponibilizada, conforme informações repassadas ao blog. No entanto, perdeu força porque uma reunião no gabinete de Maranhão estavam presente apenas ele (Zé) e três deputados.
Os demais não podem justificar que não foi avisado, porque o presidente da Comissão do Orçamento Geral da União mandou um ofício informando sobre a necessidade de adequação. Precisava, pelo menos, de R$ 100 milhões.
O Ministério da Integração informou aos senadores e deputados federais que só licitaria o canal – custa R$ 250 milhões – se tivesse um valor significativo. Como estava disponibilizado apenas R$ 23 milhões, a obra não deverá ser concretizada.
O prazo de adequação ao AGU se encerrou ontem às 19 horas. Ou seja, a parte maior das emendas será destinada a saúde e não a construção do eixo do Canal do Piancó. Maranhão falou para todos os parlamentares da reunião em seu gabinete.
Porém, como se pode observar, não houve interesse pela causa e o canal acabou ficando sem recurso algum. Como eles vão explicar à população do Sertão a negativa de aprovar a emenda no Orçamento Geral da União para o exercício de 2018?
Veja você, nem o coordenador da bancada paraibana e deputado federal Wilson Filho (PTB) se preocupou, mesmo representando a região do Sertão da Paraíba. (com Marcone Ferreira)

OAB da Paraíba cria comissão da moda e vira alvo de piada entre os advogados

Um ato do presidente da OAB da Paraíba está dando o que falar e já virou até alvo de gozação entre os advogados. É que o presidente Paulo Maia achou por bem criar uma comissão para tratar de assuntos de moda. Isso mesmo. A entidade agora tem uma comissão especializada em moda.
Não se sabe ainda como se dará a atuação da comissão. O assunto virou motivo de piada, afinal de contas não é este o papel da OAB. “A OAB tem outras coisas mais importantes para tratar, principalmente num momento deste em que vivemos”, afirmou um advogado, que pediu para não se identificar.
O presidente Paulo Maia disse trata-se de um novo segmento do direito, que vem sendo adotado por outras seccionais da OAB, como nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. “A OAB da Paraíba, de maneira vanguardista e pioneira, criou a comissão do direito da moda". Veja acima o ato do presidente:

Senador Maranhão rasga elogios a Romero: “Grata surpresa na política paraibana”

O senador José Maranhão (PMDB), que pretende disputar o Palácio da Redenção nas eleições de 2018, elogiou nesta sexta-feira (10), em Camalaú, Cariri paraibano, onde participou da cerimônia de assinatura da Ordem de Serviço para início das obras na Barragem Camalaú, o prefeito de Campina Grande. “Romero Rodrigues foi uma grata surpresa na política paraibana”, declarou.
Para o presidente estadual do PMDB, o prefeito Romero Rodrigues após transitar pela Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados, se firmou na administração de Campina Grande. “Romero se revelou um homem sereno e um administrador capaz”, disse Maranhão sobre o prefeito, que também almeja suceder o governador Ricardo Coutinho. O senador José Maranhão considera válidas as aspirações de Romero Rodrigues (PSDB) e Luciano Cartaxo (PSD) para o ano que vem. As legendas de ambos, juntamente com o PMDB, formaram um arco de aliança em 2016.  
O peemedebista lançou mão de sua cultura para elogiar os dois pré-candidatos e disparou em italiano: “Tutti buona gente” (todos gente boa). Para o senador, “Na conquista de seus ideais não se pode excluir os demais”, declarou ao Maranhão ao ser indagado sobre qual seria o candidato das oposições em 2018.

Recuperação da Barragem de Camalaú complementa Eixo Leste da transposição
Com a assinatura da ordem de serviço pelo Dnocs, as obras de recuperação do açude de Camalaú, no Cariri paraibano, poderão ser iniciadas, o que representa um investimento de R$ 10,7 milhões. A previsão de conclusão é entre quatro e seis meses. Além do senador José Maranhão, a solenidade contou com a presença de deputados federais e estaduais, e prefeitos de municípios da região, como Sandro Moco, de Camalaú. A obra, em Camalaú, complementa a transposição do São Francisco no Eixo Leste, e junto com Poções e São José, é a porta de entrada das águas do São Francisco nesse setor.
O diretor do Dnocs na Paraíba, Alberto Batista, disse que esse é um momento histórico para a Paraíba e para o Dnocs. "O Dnocs tem uma característica muito comprometida com os recursos hídricos", disse. De acordo com ele, a ação beneficia um leque muito maior de cidades do que Campina Grande e outros 18 municípios. "As águas do São Francisco estão chegando em Monteiro, estão passando em Poções, de Poções está vindo a Camalaú, de Camalaú a Campina Grande. De  Campina Grande ela tem duas vertentes: uma tomada d'água vai para atender Campina Grande e os 18 municípios e a outra vai para abastecer Acauã, que vai para as Vertentes Litorâneas, e vão até Araçagi, no Brejo. Acredito que umas 40 a 45 cidades estão sendo atendidas diretamente com as águas do São Francisco, isso no Eixo Leste", disse.  

Prefeito de Nova Olinda corta o próprio salário, do vice e demite comissionados

O prefeito de Nova Olinda, no Sertão, Diogo Richelle (PSDB), decidiu adotar medidas drásticas para colocar as contas em dia. O município descumpre a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e recebeu alerta do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Atualmente, são gastos 57% do que se arrecada com o pagamento de pessoal. A lei estabelece como limite máximo o gasto de 54%. O prefeito decidiu, neste mês, reduzir o próprio salário de R$ 18 mil para R$ 11 mil. O do vice-prefeito caiu de R$ 9 mil para R$ 5,5 mil. O dos secretários caíram para R$ 1,8 mil.
E não ficou por aí. Foram demitidos mais de 60 servidores comissionados ou contratados por excepcional interesse público. O gestor, com 23 anos de idade, disse prever a economia que pode chegar a R$ 200 mil por mês. Ele alega que não estava conseguindo pagar os fornecedores em dia e, por isso, teve que cortar na carne. Ele alega que só com os servidores efetivos, a folha do município é comprometida em R$ 400 mil. “Foi a única solução que eu encontrei para equacionar as contas. O Tribunal de Contas não deixa você passar de um exercício financeiro para o outro sem botar as contas em dia”, disse o prefeito.

Hospital Metropolitano será referência no Estado em transplantes de rins e fígado, diz Aníbal

Hospital Metropolitano será referência no Estado em transplantes de rins e fígado, diz Aníbal
O deputado estadual Aníbal Marcolino (Avante), após a divulgação por parte da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) que voltaria a oferecer a população cirurgias de rins e fígado, declarou que o Hospital Metropolitano de Santa Rita será o centro de referência nesses tipos de transplantes, no Estado.
“O Governo do Estado me informou que no Hospital Metropolitano será o serviço de referência para que sejam feitos todos os transplantes hepáticos e renais. O hospital será inaugurado até, no máximo, no final de dezembro, ou começo de janeiro”, declarou o parlamentar.
Aníbal explicou que o serviço já era oferecido anteriormente, mas ocorreu um problema com as equipes que fazem a captação dos órgãos. Com isso, os transplantes renais tiveram que ser transferidas para Campina Grande, mas os hepáticos continuaram sendo realizados em João Pessoa.
“Mais um serviço que será implantado no nosso Estado, que inclusive já acontecia antes, mas houve um problema entre as equipes que fazem captação para transplante. O Estado, então, transferiu para Campina Grande a realização dos transplantes renais e aqui estavam sendo realizado os hepáticos. Agora esses transplantes serão realizados no Hospital Nossa Senhora da Neves”, explicou Aníbal.

PSDB em crise: Ministro das Cidades diz que Pedro C. Lima ‘nunca construiu nada’

A situação do PSDB e a possibilidade de desembarque do governo Temer tem gerado grande mal estar entre os colegas de legenda e os parlamentares paraibanos não ficam fora da Polêmica.
Segundo o principal colunista da revista Veja, Mauricio Lima, da coluna Radar, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, que é de Pernambuco, não tem poupado críticas a aliados, a exemplo do deputado federal paraibano Pedro Cunha Lima. Bruno tem dito por aí que Pedro jamais pediu um voto na vida, já que foi eleito graças ao pai, o senador Cássio Cunha Lima. Nas palavras do ministro, “Pedro nunca ralou para conquistar nada na política”.
Vale lembrar, diante da situação, que Pedro recebe as críticas por ter votado, na Câmara, pelo prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) e, por isso, os tucanos poderão perder ministérios, já que está prevista a realização de uma reforma ministerial ainda neste ano.

Cássio diz que destituição de Tasso do comando do PSDB tem as digitais de Temer

Resultado de imagem para cássio cunha lima
O senador tucano Cássio Cunha Lima, vice-presidente do Senado, disse que a destituição de Tasso Jereissati do posto de presidente interino do PSDB tem as digitais de Michel Temer. “O governo interveio no partido”, disse Cássio ao blog. “Isso é muito grave. Terá uma consequência interna, que é o fortalecimento da candidatura de Tasso ao comando do partido. E repercutirá além das fronteiras do PSDB. Vai sacudir o cenário político.”
Cássio declarou-se “surpreso” com o gesto de Aécio Neves. Licenciado da presidência da legenda, ele retornou ao posto apenas para interromper a interinidade de Tasso, repassando-a  para o ex-governador paulista Alberto Goldman. Trata-se de um tucano ligado ao senador José Serra e ao ministro Aloysio Nunes Ferreira (Itamaraty), ambos de plumagem governista. Goldman comandará o PSDB até a convenção nacional marcada para o dia 9 de dezembro.
“Ficaremos muito atentos aos métodos que o governo vai utilizar”, declarou Cássio, preocupado com os rumos da convenção partidária. “Na política, pode-se ganhar ou perder. Mas essa intervenção do governo no PSDB não é prenúncio de boa coisa. Esse governo já demonstrou que é capaz de usar todos os métodos —os ortodoxos e os hererodoxos.”
Cássio acrescentou: “Não admitiremos passivamente a compra de convencionais, a pressão sobre governadores por meio de convênios, a tentativa de influenciar o voto com a oferta de empregos e vantagens. A essa altura, não é possível estimular essa pedagogia do atraso.”
O que acontecerá se os quatro ministros do PSDB desrespeitarem uma eventual decisão do partido a favor de desembarcar do governo?, quis saber o repórter. E Cássio: “A partir de decisão partidária, tomada pela instância máxima do PSDB, os ministros que quiserem participar do governo terão, evidentemente, que sair do partido. Do contrário, o partido deixaria de existir. Não faz sentido aceitar o desresopeito a uma decisão da convenção.”

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Internado em caráter de urgência em JP, prefeito de Conceição passará por cirurgia mas grava vídeo e tranquiliza população ao afirmar que passa bem

O prefeito de Conceição, Nilson Lacerda (PSDB) deu entrada no Hospital São Francisco em João Pessoa, na manhã desta quarta-feira (08), se queixando de fortes dores na coluna, e de lá pra cá, continua internado. Em contato por telefone, na manhã desta quinta-feira (9), Nilson disse que já está internado há mais de 24h, e após vários exames, foi constatado que ele terá que se submeter a um procedimento cirúrgico na região da coluna lombar, o que irá lhe impossibilitar de trabalhar por pelo menos oito dias, para recuperação.
“Estou bem, os médicos estão me acompanhando e a todo momento me dando assistência, porém sinto fortes dores na coluna que não passam mais com efeitos de medicamentos. Logo logo estarei retornando aos trabalho na minha cidade, pois o povo precisa mim. Por enquanto já orientei toda a equipe da prefeitura por telefone, sobre o que eles devem fazer até que eu volte pra casa.”, disse o prefeito.
Nilson ainda disse que tinha umas reuniões em Brasília para tratar sobre o envio de recursos federais para Conceição, e que ao ser internado, pediu ao ex-prefeito João Deon Diniz para lhe representar e logo foi atendido. “Deon Já está em Brasília e tenho plena certeza que ninguém melhor que ele para nos representar junto as bancadas federais. Só tenho a agradecer”, pontuou. Internado, o prefeito gravou um vídeo para suas redes sociais, onde comunica aos conceiçãozenses que terá que se afastar por alguns dias do seu trabalho. 

João Azevêdo une adversários durante visita às cidades Santo André e Serra Branca

O secretário de Estado da Infraestrutura e Recursos Hídricos, João Azevedo tem cumprido uma vasta agenda administrativa pelo estado, mas também buscado pavimentar sua pré-candidatura ao Governo da Paraíba. A visita de João Azevedo ao Cariri para vistoriar importantes obras também chamou atenção da população pelo fator político, principalmente porque o pré-candidato conseguiu reunir ao seu lado rivais adversários de dois municípios do Cariri.
Em Santo André (foto acima), cidade que mantém uma grande rivalidade política, João Azevedo foi recebido por líderes da oposição como o presidente do PSB local, Francisco Fernandes e o vereador Edimar (PSB), além da prefeita da cidade Silvana Marinho e demais aliados que na campanha passada apoiaram a candidatura de Cássio Cunha Lima, mas tem demonstrado uma aproximação com o grupo político do Governador Ricardo Coutinho.
Na cidade de Serra Branca, João Azevedo também conseguiu atrair a sua visita diversos líderes políticos de lados opostos. O pré-candidato foi recebido pelo prefeito Souzinha que esteve juntamente com auxiliares e aliados do governo. Os vereadores de oposição Guilherme Gaudêncio (PSB), Renan Mamede (PT), Macilon Rafael (PT), demais líderes petistas e socialistas também estiveram acompanhando João.
Sendo oficializado candidato, João Azevedo poderá ter um palanque jamais visto em Serra Branca reunindo o prefeito Souzinha, os líderes do PT como o ex-prefeito Zizo Mamede, aliados do PSB a exemplo do ex-candidato a prefeito e vereador Guilherme Gaudêncio e ainda do grupo Torreão que na eleição passada já apoiou a candidatura socialista.
Logo após a vistoria nas obras da Escola Técnica o pré-candidato seguiu para uma entrevista na Rádio Serra Branca FM e lá demonstrou força contando com a presença de líderes de grupos diversos como o prefeito Souzinha, o presidente do PT Ednaildo Saraiva e o líder do PSB na cidade, Guilherme Gaudêncio.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Genival Matias tira licença a partir desta 5ª-feira e Dr. Américo assume mandato na Assembleia Legislativa

O deputado estadual e presidente do Avante na Paraíba, Genival Matias, confirmou que se licencia do mandato parlamentar a partir desta quinta-feira (09) para tratar de assuntos pessoais, fortalecer a criação de diretórios do Avante em várias cidades da Paraíba e ampliar o número de filiados que concorrerão aos cargos de deputado estadual e federal em 2018. Durante seu afastamento por um período de quatro meses, o médico Américo Cabral (Avante) assume a vaga. A licença será sem remuneração, ou seja, sem nenhum ônus para a Assembleia Legislativa.
Genival Matias informou que a efetivação dos diretórios em cerca de 200 cidades paraibanas é uma necessidade do partido e ele estará à frente da oficialização em diversos municípios. "Vou tirar essa licença sem vencimento para que eu possa acompanhar de perto a efetivação de novos diretórios do Avante em diversas cidades. Pois é uma necessidade do partido e um pedido do diretório nacional uma vez que estamos em ano pré-eleitoral e temos que deixar a legenda completamente organizada, tendo em vista o crescimento e fortalecimento da sigla”, destacou o parlamentar.
Genival ainda destacou que se afasta da Assembleia e fica tranquilo, pois tem convicção que Dr. Américo Cabral conduzirá o mandato de forma brilhante, trabalhando pelos paraibanos e pelos interesses da Paraíba. "Tenho certeza que o amigo e médico Américo Cabral irá representar muito bem o nosso partido na Assembleia Legislativa”, afirmou.

Novo deputado
O médico neurocirurgião Américo Cabral é natural da cidade de Natuba-PB, professor da Unicamp e Empresário. Foi candidato a deputado estadual em 2010 e obteve 14.462 votos. Voltou a disputar uma vaga na Assembleia em 2014 e foi votado por 10.796 eleitores paraibanos.

"Tenho impressão que as candidaturas no próximo ano vão ser registradas na polícia, e não mais no TRE", diz Romero Rodrigues.

Resultado de imagem para romero inaugura museu digital
O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), não está nada satisfeito com o cenário político do Brasil e da Paraíba. Em uma declaração forte, o tucano chegou as candidaturas em 2018 correm o risco de serem registradas na polícia, e não no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
“Está muito desestimulante a política no Brasil, imagina na Paraíba que, aliás, eu tenho a impressão que as candidaturas no próximo ano vão ser registradas na Central de Polícia, e não mais no TRE. Então está muito desgastante esse processo eleitoral paraibano e eu, sinceramente, não estou com estímulo para dar sequencia a um debate político”, disse.
Romero reafirmou ainda o desejo de disputar o Governo do Estado, mas disse que não tem “obsessão” pela postulação. “Não adianta a gente falar em candidatura esse ano, porque partido nenhum vai decidir nem vai fazer opção com tamanha antecedência. As candidaturas se mantém, eu só não vou fazer uma obsessão”, declarou.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

MPF, CGU e PF deflagram Operação Titânio: implantes dentários superam número de habitantes em Sumé

Sabe daquelas coisas que beiram a casa do absurdo? Você acharia suspeito o fato de serem realizados, em dois anos, 21.718 implantes e 13.497 próteses sobre implantes numa cidade 16.060 habitantes. Pois é, a Controladoria Geral da União (CGU), o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) também. Esses são os números do programa Brasil Sorridente na cidade de Sumé, no Cariri paraibano. Um negócio que movimentou R$ 9 milhões em dois anos e que, de acordo com as suspeitas dos órgãos de controle, envolveu desvio de recursos públicos. A população da cidade, por isso, presenciou uma grande operação policial nesta terça-feira (7).
A cidade de Sumé, vale ressaltar, foi pioneira do Nordeste com o programa Brasil Sorridente. Os procedimentos foram realizados nas cidades polarizadas pelo município entre março de 2015 e julho de 2017. Há suspeitas de que as irregularidades ocorreram em todos os municípios que compreendem o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Cariri Ocidental (Cisco). Um traço peculiar liga todas elas. O ex-prefeito de Sumé, Dr. Neto (PMDB), também presidia o consórcio. A empresa selecionada para fazer os implantes, o Centro Odontológico Sarkis, pertence a um genro do ex-prefeito.
Dr. Neto, vale ressaltar, foi um dos alvos da operação que cumpriu oito mandados de busca e apreensão e seis de condução coercitiva na região do município de Sumé, no curso da Operação Titânio. Os mandados foram determinados pela 11ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Monteiro/PB. Em relação à cidade de Sumé, já no primeiro ano do programa, foram realizados 3,5 mil implantes. A situação, segundo a procuradora da República em Monteiro, Janaína Andrade, é bastante suspeita. Ela lembra que os procedimentos são cirurgias de baixa e, em alguns casos, de alta complexidade.
A procuradora ressaltou, ainda, a falta de transparência no processo de seleção da empresa que prestou os serviços. O primeiro contrato, estimado em R$ 2,1 milhões, foi feito através de inexigibilidade de licitação. No segundo, em 2016, a segunda empresa cadastrada no pregão eletrônico foi desclassificada. Neste ano, novamente a mesma empresa foi selecionada. Janaína Andrade explica que ainda não é possível dizer de quanto foi o prejuízo ao erário. Tudo vai depender da análise dos documentos apreendidos e do cruzamento de informações.
Há suspeitas ainda de que a empresa contratada não tinha estrutura para a prestação do serviço. Para se ter uma ideia, parte dos equipamentos usados pertenciam ao Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de Sumé. Cada implante custava R$ 560 aos cofres públicos, segundo levantamento constante na nota técnica elaborada pela CGU. A expectativa dos órgãos de controle é que a investigação seja ampliada para outros municípios onde o programa foi implantado. Toda a documentação será repetida aos procuradores da república de cidades abrangidas pela investigação.

O outro lado

“Importante esclarecer que o número de atendimentos é elevado porque o CEO atende Sumé e mais 17 municípios da região do Cariri Paraibano com um programa que vem beneficiando milhares de pessoas na saúde bucal com a entrega de implantes dentários gratuitos para seus habitantes, alcançando uma população que soma mais de 100 mil pessoas, além de atender outras cidades da Paraíba e do vizinho Estado de Pernambuco, como assim permite o sistema único de Saúde (SUS)”, disse, em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura de Sumé..

Ex-prefeitos Zé Alencar e Dr. Carlinhos anunciam adesão ao grupo do prefeito Dedé, em Santana dos Garrotes.

 
O prefeito de Santana dos Garrotes Dedé de Zé Paulo (PSB) recebeu dois importantes apoios políticos: os ex-prefeitos médicos Dr. Carlinhos Soares e Dr. Zé Alencar. Vereadores, ex-vereadores e suplentes, além de outras lideranças, também aderiram ao grupo político da situação.
O encontro de Dedé com Zé Alencar, aconteceu na noite desta segunda-feira (6), em Campina Grande, com a presença do médico Dr. Antônio Bidô, ex-secretário de educação, Luiz professor, que também anunciaram apoio a Dedé. O ex-candidato a vice-prefeito da oposição Vandeco de Paula. Alencar disse que, ouviu sua base e decidiu aderir: “Dedé é do povo, a gente vai se entender muito bem, confio nele”, resumiu Zé Alencar
Já o encontro com o médico e ex-prefeito, Dr. Carlinhos Soares foi na cidade de Piancó, na manhã desta terça-feira (7).  "Santana merece tranquilidade e desenvolvimento, além da união de todos", disse Dr. Carlinhos. O vereador Dedé Batista (DEM), os suplentes Raniey Araújo e Judivan Passos, ambos (PSDB) e o ex-vereador Antonio Zacarias, também anunciaram apoio ao prefeito.
Os vereadores Neto Pinto (DEM),Tavinho (PSDB), e o ex-candidato a vice-prefeito da oposição Vandeco de Paula. já haviam anunciado adesão ao prefeito, no inicio do ano. “Me sinto honrado com o apoio dessas lideranças e do povo de minha cidade, por isso, estou convicto, que nosso trabalho segue no caminho certo”, disse Dedé de Zé Paulo. Na câmara de vereadores, o prefeito conta até o momento com o apoio de todos os parlamentares-mirins.
O prefeito, no entanto, registrou a perda do ex-prefeito Dr. Willame Teotônio que fazia parte de sua base política.

TJ mantém condenação de ex-prefeito de Santa Inês por crime de responsabilidade

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a sentença da 2ª Vara da Comarca de Conceição, que condenou o ex-prefeito de Santa Inês, Adjefferson Kleber Vieira Diniz, a três anos e seis meses de detenção, em regime aberto, por crime de responsabilidade, por nomear servidor contra expressa disposição de lei. O relator da Apelação Criminal nº 0001430-74.2013.815.0151 foi o desembargador Arnóbio Alves Teodósio, que votou pela manutenção da sentença e foi acompanhado por unanimidade.
Segundo o relatório, o ex-prefeito foi denunciado porque, quando administrava o Município e ordenava despesas, teria agido de forma dolosa, admitindo e nomeando servidores sem concurso público. Alegando excepcional interesse público, Adjefferson teria cometido o crime reiteradamente e extrapolado o limite temporal máximo da contratação, burlando o artigo 37, incisos II e IX, da Constituição Federal, bem como o artigo 2º, inciso IV, da Lei Municipal nº 148/2008.
Ainda de acordo com o relatório, nos anos de 2009, 2010 e 2011, o ex-prefeito realizou um total de 39 contratações temporárias para diversas funções, sem prévio processo seletivo simplificado. Todas as contratações estavam em desacordo com a lei, especialmente quanto à ultrapassagem do prazo máximo das contratações, que foi superior ao previsto na legislação. “Terminado o contrato de admissão de pessoal era renovado sem observar o decurso de dois anos entre um e outro”, observou o relator.
Inconformada com a condenação, a defesa de Adjefferson Diniz recorreu da decisão alegando que as contratações tomaram por base a Lei Municipal 148/2008, que especifica os cargos e autoriza o gestor a proceder as contratações; que os servidores admitidos eram de extrema importância para a manutenção dos serviços essenciais do Município; que no ano de 2010 realizou concurso público, exonerando os servidores contratados e admitindo os concursados; e que não estava caracterizado o dolo, uma vez que todos os servidores mencionados prestaram serviços. Por fim, requereu a absolvição ou a diminuição das sanções arbitradas.
Ao votar, o desembargador Arnóbio Teodósio afirmou que a materialidade do crime encontra-se comprovada nos documentos acostados aos autos, no Processo Administrativo nº 2011/2654, bem como no Relatorio da Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e à Improbidade Administrativa e consultas ao sistema Sagres do Tribunal de Contas do Estado.
“A autoria restou comprovada pela prova oral colhida na instrução, especificamente a palavra do réu (fl.525, mídia eletrônica), que confirmou que contratou as pessoas referidas na denúncia sem a realização de concurso público, alegando, entretanto, que o fez conforme a lei, por excepcional interesse público e até a realização do concurso público. Confessou, também que alguns dos contratos efetuados vigoraram durante o seu mandato, como exemplo os agentes de epidemias e os de saúde”, relatou Arnóbio Teodósio.
Afirmou o magistrado, que a alegada ausência de crime não procede, uma vez que o acusado, na condição de prefeito do Município de Santa Inês, praticou, dolosamente, conduta vedada, admitindo e contratando servidores públicos sem realização de concurso público, contrariando dispositivo constitucional.
Disse não existirem motivos para reduzir ou modificar a pena, por entender que o juiz decidiu com acerto dentro dos parâmetros legais ditados pelos artigos 59 e 68 do Código Penal, e o quantum imposto ao réu se encontra adequado ao critério da necessidade e suficiência, para a reprovação e prevenção do crime.
O relator manteve a sentença do juiz de 1º Grau, que, ao observar que o acusado preenchia os requisitos do artigo 44 e seguintes do CPP, converteu a pena privativa de liberdade em duas privativas de direitos, de prestação pecuniária no valor de 10 salários mínimos e prestação de serviços à comunidade ou entidade pública.

LBV celebra 60 anos de atuação na Paraíba promovendo amparo social, respeito e formando cidadãos planetários

A Legião da Boa Vontade (LBV) celebrou em outubro passado, 60 anos de atuação na cidade de João Pessoa, colaborando para a melhoria da autoestima e o protagonismo de centenas de crianças, adolescentes, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade social. Ao longo de seis décadas, a Entidade ampliou seu atendimento levando as comunidades vulneráveis, o amparo social, além do respeito, carinho e atenção, sempre com a ajuda do povo brasileiro.
 
As ações empreendidas pela Legião da Boa Vontade são gratuitas e objetivam a melhoria da qualidade de vida de pessoas e famílias, consequentemente, da comunidade em que vivem. Em sua Sede no Bairro de Jaguaribe, a Instituição desenvolve os programas Criança: Futuro no Presente!, Programa Vivência Solidária e Vida Plena, com oficinas de música e canto, ballet, maculelê, capoeira e atividades esportivas. A LBV, realiza também ao longo do ano, campanhas em favor da população da Zona Rural do Brejo Paraibano, vítimas da estiagem que assola a região. Às comunidades recebem atendimento social, recreação, além de kits de material pedagógico e cestas de alimentos. 
O menino Ícaro, 09 anos, beneficiado pela LBV desde os seus 06 anos é morador do bairro de Varadouro na cidade de João Pessoa, é o quinto filho de oito irmãos, dos quais, dois deles participam das oficinas socioeducativas na Instituição. A educadora social da LBV, Jaciara Xavier, relata que o menino tem uma história de superação. “Desde que o menino Ícaro veio para a LBV, desejou estar inserido em atividades que envolve a arte, propriamente a Oficina de Ballet. Ele comentara que o preconceito dos colegas o intimidava estar envolvido, diziam que ballet é coisa de menina”, comenta.
A educadora ressalta ainda, que promoveu um trabalho de conscientização, na qual apresentou aos meninos e meninas a história do balett no mundo. “Trouxemos a história do ballet que fora inicialmente dançado por homens, e a partir da conscientização, outros meninos tem se inserido na oficina”, esclarece. “Quando Ícaro chegou a Instituição, era uma criança triste e agressiva, tudo pelas circunstâncias em que vivia”, relata a educadora social, Jaciara. As atividades socioeducacionais da LBV, tem contribuído para a inserção do garoto na sociedade. “O pequeno Ícaro é uma outra criança, alegre, participativo, carinhoso e um talento natural para o ballet, tem um dom incrível para a dança que está sendo desenvolvido na LBV”, fala entusiasmada a educadora Jaciara Xavier, com o progresso do pequeno Ícaro.
Em João Pessoa/PB, a sede da Instituição, está localizada à Rua das Trincheiras, 703 – Jaguaribe –, beneficiando meninos e meninas com idades de 6 a 15 anos, jovens, adultos e idosos oriundos das comunidades de Jaguaribe, Distrito Mecânico, Renascer, Cruz das Armas, Oitizeiro, Ilha do Bispo e Varadouro. Informações: (83) 3198.1500. (com Ascom)

Novidade na corrida à sucessão presidencial: O nome dela é Manuela!

Imagem relacionada
Está aí a novidade na corrida à sucessão presidencial. O PCdoB comunicou nesta segunda (6), por meio de nota à imprensa, que a deputada Manuela D’Avila (RS) será pré-candidata à presidência da República.
Manuela é jornalista e deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, já tendo cumprido dois mandatos como deputada federal, sendo líder do PCdoB na Câmara dos Deputados. Foi indicada três vezes pelo Diap como uma das 100 “Cabeças” do Congresso e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil. Novidade bem definida no artigo do jornalista Nonato Guedes, à seguir:

"Lembram do João Doria, o prefeito-factóide de São Paulo, que ensaiou um populismo de elite e de direita? Deu com os burros n’agua. Era fortíssimo candidato a presidente da República em 2018 na faixa de centro-esquerda, uma espécie de resposta de parcelas do eleitorado ao desastre que foram os governos do PT atolados em mensalões e petrolões da vida. Não é mais. Procura escafeder-se, pelo menos, na condição de vice – talvez do Geraldo Alckmin, o que seria impraticável porque teríamos, nessa hipótese, dois candidatos paulistas ou paulistanos. O fato é que Doria saiu de moda.
A novidade neste final de semana foi o lançamento, pelo PCdoB, da candidatura da deputada estadual Manuela D’Avilla a presidente da República. Com o gesto, o PCdoB, uma contrafação do PCB histórico de Luís Carlos Prestes, sinalizou claramente que está se descolando da tutela do Partido dos Trabalhadores, a quem se aliou desde a redemocratização de 1985 que assinalou o fim da ditadura militar. As versões indicam que o PCdoB resolveu investir em candidatura própria por avaliar que o PT está demorando demais a definir se o ex-presidente Lula será ou não candidato no próximo ano. E não há tempo a perder nem espaço vazio, porque as forças de centro-direita continuam ativas procurando substituto de Doria e cada vez mais sendo empurradas para o colo do militar “bunda suja” Jair Bolsonaro, tal como é tratado pela oficialidade de elite, conforme revelou “Veja” semanas atrás.
Lula tenta viabilizar a candidatura a todo custo, desafiando a própria legislação, uma vez que ele está condenado a nove anos e seis meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro por corrupção passiva – e embora o caso não tenha transitado em julgado, fica uma aura de indefinição sobre Lula ser ou não postulante ao Planalto. Em relação a Dilma, os petistas nem mencionam o nome, imagine-se cogitar dele como alternativa para suceder a Lula em caso de impedimento. Dilma não merece confiança, é o “eterno poste” que Lula inaugurou na política, é detestada nas bases ortodoxas do PT e, no dizer do próprio Lula, traiu o eleitorado na questão do ajuste fiscal. O PT quer sair como grande beneficiário de uma revanche nas urnas, mas o mito Lula já não comove mais.
Abstraindo o fato de ser filiada a uma legenda comunista num país onde há fortes restrições ao comunismo por parte de segmentos menos avançados ou menos politizados da sociedade brasileira, Manuela D’Avila representa o novo sob todos os pontos de vista – e simboliza, também, a coerência, um elemento que pode inspirar confiança e motivação a eleitores dispostos a votar em branco ou anular seu voto nas eleições do próximo ano. A coerência está no fato de que, desde quando jovem vereadora em Porto Alegre, Manuela já pontificava no PCdoB. Ao mesmo tempo, ela passa sinceridade e conhecimento mínimo dos problemas gerais que afetam o Brasil.
As velhas cúpulas estão dando voltas em círculo para identificar ou localizar candidatura que tenha “frescor” para o eleitorado, do ponto de vista de transmitir jovialidade e, ao mesmo tempo, “timing” para enfrentar os desafios da presidência da República. Pois Manuela tem o tal “frescor” – injeta sangue novo na desgastada atividade política, tem capilaridade para atrair um expressivo contingente de indeciso de desiludidos com a política e os rumos que ela tomou no Brasil. Que Doria ou Luciano Huck que nada. Manuela pode ser a chave para os que estão órfãos de representatividade e buscam, de alguma formam influenciar no processo decisório.
Um outro significado da provável candidatura de Manuela D’Avila é simples: expressa que o PT, definitivamente, saiu de moda. Já não é mais a fonte inspiradora das esquerdas. Aliás, o fiasco das caravanas intentadas por Lula no Nordeste e em Minas Gerais demonstra o estado de exaustão com a pantomima petista,que prega moralidade com a mão e com a outra avança no erário público, saqueia recursos destinados a investimentos em programas sociais. Fato curioso, o presidente Michel Temer nem se anima a dizer-se candidato à reeleição porque tem consciência de que é o presidente mais desaprovado no ciclo democrático brasileiro. E o PT, que esperava surfar na onda do desgaste e da impopularidade de Temer, vem perdendo dia após dia suas bandeiras e, especialmente, a confiança da população. Pode dar Manuela na cabeça!"
Por Nonato Guedes

Hospitais Memorial São Francisco e Nossa Senhora das Neves passarão a oferecer cirurgias de transplantes de rins e fígado

Os Hospitais Memorial São Francisco e Nossa Senhora das Neves (foto) passarão a oferecer cirurgias de transplantes de rins e fígado pelo Sistema Único de Saúde. O serviço é resultado de um convênio entre a Secretaria de Saúde, Sistema Único de Saúde (SUS) e os hospitais.
Entre os meses de janeiro e setembro deste ano, a Central Estadual de Transplante na Paraíba realizou 140 transplantes, sendo 114 de córnea, 25 de rim e 1 de fígado. Com o credenciamento de mais duas equipes transplantadoras, a Paraíba passa a ter cinco equipes capacitadas para realização desses procedimentos, sendo três hospitais para transplantes de rins (dois em João Pessoa e um em Campina Grande) e dois para transplantes de fígado, ambos na Capital.
A relação de pacientes que precisam de transplantes é administrada pela Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Transplantes (SNT), do Ministério da Saúde (MS), por meio de sistema informatizado, juntamente com a central estadual de regulação. A diretoria de regulação da rede municipal de saúde ficará responsável em acompanhar e fiscalizar todo o processo dos usuários da rede municipal.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Genival Matias se reúne com lideranças do Litoral Sul, Curimataú e Zona da Mata, na busca de fortalecer base

O deputado estadual e presidente do Avante na Paraíba, Genival Matias, teve uma agenda de compromissos movimentada durante o fim de semana. A maratona de encontros iniciou na sexta-feira (03), onde o deputado participou de reuniões com lideranças do Litoral Sul da Paraíba para fortalecer sua base na região. Nas visitas, o deputado recebeu apoios importantes para o crescimento e fortalecimento do partido na Paraíba.
No sábado (4), o deputado participou das solenidades em comemoração aos 104 anos de fundação da cidade de Juazeirinho, na região do Seridó paraibano. Na ocasião, Genival recebeu da Câmara Municipal o Título de Cidadão Juazeirinhese. “Nasci em João Pessoa, mas minha vida e dos meus familiares foi toda em Juazeirinho, terra do meu pai, da minha mãe e dos meus avós. Já me sentia juazeirinhense e hoje só foi oficializado esse sentimento”, disse Genival.
Ainda no sábado, o deputado recebeu o apoio oficial do ex-prefeito de São Vicente do Seridó, Chico Berto, e do seu grupo político. Chico Berto foi prefeito por três mandatos naquela cidade. Genival também se reuniu com o ex-prefeito de Taperoá, Deoclécio Moura, onde tratou de ações para o município. Já no domingo (5), o parlamentar participou de reuniões com o líder da oposição em Cruz do Espírito Santo, Marlyson Costa e também com lideranças da cidade e região.
“Foi um fim de semana muito produtivo onde tive a oportunidade de comemorar mais um ano de fundação da nossa Juazeirinho, que agora tem muito o que comemorar pois a cidade vive em constante desenvolvimento na gestão do prefeito Bevilacqua Matias e da vice-prefeita Anna Virginia. Também me reuni com lideranças e recebi apoios importantes para o nosso projeto de seg

Cássio destaca força de Lígia e diz que vice deve ser lembrada junto a Azevêdo

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), durante entrevista à Rádio Sanhauá, nesta segunda-feira (6), comentou sobre a formação da chapa do governo para o ano que vem e destacou a importância que a vice-governadora Lígia Feliciano terá no processo eleitoral.
“Além de Azevêdo tem a presença que deve ser sempre lembrada da vice-governadora Ligia. Tem um papel importante e cumprirá um papel importante na eleição do ano que vem”, comentou.
Cássio, uma das principais lideranças de oposição no Estado, diz ter respeito também ao pré-candidato pelo PSB, João Azevêdo e deixou claro que não tem nada pessoal contra o secretário da Infraestrutura da Paraíba, porém vê a necessidade de a população saber que o estado precisa melhorar.

domingo, 5 de novembro de 2017

Em artigo publicado neste domingo, FHC defende que PSDB saia do governo Temer

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, grão-mestre do tucanato, quer ver o seu partido longe de Michel Temer. Em artigo veiculado neste domingo, FHC anotou que os tucanos precisam “passar a limpo o passado recente”, aprofundar o “meia-culpa”, pacificar suas “facções internas” e descer do muro para encarar o seu dilema: Ou o PSDB desembarca do governo em dezembro ou se confundirá com o PMDB, tornando-se definitivamente um ator coadjuvante na disputa presidencial de 2018, disse.
“É hora de decidir e não se estiolar em não decisões”, anotou FHC na parte final do artigo, veiculado no Globo e no Estadão. “É hora também de juntar as facções internas e centrar fogo nos adversários externos.” Sem renegar o apoio dado à gestão Temer após o impeachment de Dilma Rousseff —“A transição política exigia repor em marcha o governo federal…”, FHC desce do muro para se juntar à parcela antigovernista do ninho.
“Politicamente, há um ponto crítico e alguma decisão deverá ser tomada: ou o PSDB desembarca do governo na Convenção de dezembro próximo, e reafirma que continuará votando pelas reformas, ou sua confusão com o peemedebismo dominante o tornará coadjuvante na briga sucessória.”
FHC talvez não tenha notado. Mas a posição subalterna do PSDB já é algo consolidado. O partido escreve uma página melancólica de sua história. Saiu da eleição presidencial de 2014 como maior força política da oposição. Aécio Neves parecia fadado a virar presidente na sucessão seguinte.
Hoje, o PSDB não chega a ser nem coadjuvante. Perdeu o posto para os partidos arcaicos do centrão. Virou figurante de um governo dominado pela banda podre do PMDB, que se divide em duas alas: quem tem mandato está ao lado do presidente. Quem já não dispõe de foro privilegiado está atrás das grades.
Para FHC, os grandes partidos brasileiros chegam à antessala da sucessão presidencial arrastando suas bolas de ferro. Ele escreveu a certa altura: “Não nos enganemos: por mais que as estruturas de poder continuem ativas, as marcas do que aconteceu nos últimos anos serão grilhões nos pés dos partidos e candidaturas.”
Acrescentou: “Nem o PT se livrará dos muitos malfeitos que cometeu e das ilusões que enterrou, nem o PMDB sacudirá a poeira de haver formado parte não só da onda petista como de seus descaminhos, nem o PSDB deixará de pagar por ter dado as mãos ao governo Temer e de tê-las chamuscado por inquéritos.”
Defensor do afastamento de Dilma e do apoio a Temer nas pegadas do impeachment, FHC disse que há argumentos para justificar os dois gestos. Mas se absteve de enumerá-los. Virou a página: “Daqui por diante, o capítulo é o futuro. É diante dele que os partidos terão que se posicionar.”
Anotou que “o PT está com a sorte colada à de Lula”. Quanto ao destino de Lula, disse estar “nas mãos da Justiça.” Condenado por Sergio Moro a 9 anos e meio de cadeia, Lula aguarda o julgamento do recurso que interpôs no TRF da 4ª Região, em Porto Alegre. Se a sentença de Moro for confirmada, o pajé do petismo vira um ficha-suja. Pior: pode ser preso.
“Não torço pela desgraça alheia”, escreveu FHC. “Não sou juiz, não quero e não devo opinar na matéria. Melhor é supor que Lula dispute as próximas eleições.” O líder máximo dos tucanos dá de ombros para as pesquisas que acomodam Lula na liderança da corrida sucessória: “Suas chances de vitória não são grandes.”
Atrasando o relógio, FHC realçou: “Derrotei Lula duas vezes […]. Por que ganhei? Porque Lula e seu partido se isolaram no que imaginavam ser a classe trabalhadora, com seus porta-vozes intelectuais. Quando Lula ganhou minha sucessão [em 2002] foi porque ele e seu partido, com a Carta aos Brasileiros e outras ações mais, se aproximaram da classe média e saíram do gueto, alargando sua base de apoio original. Desenhada a vitória e alcançado o poder, o establishment se juntou aos vitoriosos, sem temor de ser prejudicado.”
Na opinião de FHC, Lula e o PT “voltaram para suas trincheiras originais.” De resto, chegam a 2018 com o discurso embaralhado: “Tentarão relembrar os dias gloriosos da bonança econômica para que o eleitorado se esqueça dos escândalos de corrupção, das desventuras a que levaram a sociedade e da recessão que produziram na economia. São competidores, portanto, derrotáveis.”
Ironicamente, FHC expôs a fragilidade do PSDB ao discorrer sobre as opções a Lula. Não citou nem o governador paulista Geraldo Alckmin, nem a criatura dele, o prefeito paulistano João doria. Escreveu que a eventual derrota de Lula depende “de saber que partidos e líderes formarão os ‘outros lados’.”
Acrescentou que do lado oposto ao de Lula “poderão estar os que ‘jogam por fora’ dos grandes partidos, como Marina e, em sentido menos autêntico e mais costumeiro, candidaturas ‘iradas’, tipo Ciro Gomes. Só que no momento desponta outra candidatura ainda mais ‘irada’ e mais definida no espectro político, a de Bolsonaro.”
De Bolsonaro, afirmou FHC, “sabemos que é ‘linha-dura’ contra a desordem e a bandidagem, mas pouco se sabe —ao contrário de Marina— sobre o tipo de sociedade de seus sonhos (e meus pesadelos…).” O articulista mencionou até a hipótese de surgir um aventureiro, que chamou de “easy rider”. Mas não se dignou a citar o nome dos tucanos, que aparecem nas pesquisas com um mísero dígito.
FHC tampouco citou o ministro Henrique Meirelles, que sonha em reeditar sua trajetória, migrando da pasta da Fazenda para o Palácio do Planalto. Incluiu o partido de Meirelles, o PSD, entre as legendas do pelotão retardatário, que não dispõem de pilotos capazes de subir ao pódio.
Eis o que escreveu FHC: “O PMDB faz tempo que maneja o Congresso e sabe imiscuir-se na máquina pública, mas não parece ser um time pronto para disputar a pole position. O DEM, o PSB ou o PSD e os demais não têm nomes fortes para a cabeça de chapa, embora possam pesar se ingressarem em um conglomerado que seja ‘centrista’, mas olhe à esquerda, por mais que tal ginástica custe a alguns deles.”
“E o PSDB?”, perguntou FHC a si mesmo. “Pode apresentar algum nome competitivo. Mas precisa passar a limpo o passado recente. Deveria prosseguir no mea-culpa apresentado na televisão sob os auspícios de Tasso Jereissati, sem deixar de dar a consideração a quem quase o levou à Presidência.”
Quer dizer: Além de não mencionar o nome de Alckmin, um presidenciável com contas a ajustar na Lava Jato, o grão-mestre do PSDB pede que a legenda tenha “consideração” com o Aécio Neves, um personagem que trocou a biografia de ex-presidenciável por um prontuário que inclui nove inquéritos e R$ 2 milhões repassados pela JBS por baixo da mesa. Nesse ritmo, o PSDB acabará passando seus desacertos recentes a sujo, não a limpo. (com Josias de Souza)

TRE-PB registra criação do Partido Nacional Corinthiano, o 36º partido no sistema eleitoral brasileiro...

O Tribunal Regional do Eleitoral da Paraíba registrou mais um partido, o PNC (Partido Nacional Corinthiano). Conforme o julgamento, o partido cumpriu os requisitos exigidos na legislação em relação à documentação necessária.
Seguindo o voto do relator do processo, o desembargador Romero Marcelo, a Corte decidiu deferir o registro, tendo como base que a nova sigla cumpriu as exigências previstas na legislação eleitoral, distribuídas em quatro etapas formação de um órgão partidário
O pedido da formação do parido a nível nacional está em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral, se aprovado, este será o 36º partido no sistema eleitoral brasileiro.

Cássio visita Cruz do Espírito Santo e participa de inauguração de rádio

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) visitou, na manhã deste sábado (4), o município de Cruz do Espírito Santo, onde participou da inauguração da Rádio Nova FM.
Estavam presentes o deputado federal Rômulo Gouveia, o deputado estadual Tovar Correia Lima e o prefeito de Cruz do Espírito Santo, Pedrito.
Na ocasião, o senador concedeu entrevista a nova emissora, e participou de atividade com os aliados.