sexta-feira, 21 de março de 2014

Corrupção: Vereador chama o prefeito de Itaporanga de ladrão e diz que R$ 25 mil foram "roubados" numa única compra de cadernos que custou R$ 94 mil; "Estão roubando, saqueando os cofres públicos...", disparou.

Mais uma grave denúncia está sacudindo Itaporanga, desde a noite passada quando da sessão na Câmara Municipal. É que a gestão do prefeito Audiberg Alves (PTB) foi emparedada com revelação de mais um escândalo de corrupção que assola a 'Rainha do Vale', que se sente envergonhada com o tamanho do descalabro e desfaçatez imprimido pelo atual gestor municipal. A população tem acompanhada cabisbaixa, envergonhada e boquiaberta, revelações e denúncias de "falcatruas" com o dinheiro público levantada no nosso legislativo-mirim. Nitroglicerina pura.
Ano passado, superfaturamento acima dos 200% foi denunciado em compras feitas pela secretária municipal da Saúde, a fisioterapeuta Aparecida Alves - que é prima do prefeito, denúncia esta que aportou na mesa do Ministério Público - no fim do ano; No mês passado foi a vez de superfaturamento em compra de material escolar, na casa dos 69% de ágil; E ontem (20), mais um escândalo revelado pelo vereador Ivanilto Palmeira (PTN). O edil taxou categoricamente o prefeito Audiberg Alves (PTB) de "ladrão" e declarou que o gestor está "roubando, saqueando os cofres públicos...". 
O vereador apresentou documentos que, segundo ele, comprovam sua denúncia e desafia a gestão rebatê-las...
Com documentos em mãos, provando o que afirmava, da tribuna, o vereador revelou que somente numa compra de cadernos para serem distribuídos com alunos da rede fundamental, feita pela Secretaria Municipal da Educação - que é comandada pela educadora Josilene Gonçalves - foram gastos R$ 94.843,82 mil, sendo que mais de R$ 25 mil, segundo o parlamentar-mirim, foi "roubado, saqueado dos cofres públicos...". A compra foi feita à empresa Paulo Silva de Oliveira - Comercial Fênix, localizada no Bairro Cristo Redentor em João Pessoa.
"Esse caderno aqui [mostrou] foi adquirido pela prefeitura por R$ 4,80 enquanto em Itaporanga custa R$ 3,00. Esse outro modelo custa R$ 13,00 e a prefeitura pagou R$19,80. Essa bolsa que foi comprada pela prefeitura por R$ 16,00, custa R$ 10,00. Portanto, senhor presidente, fiz um mapa do faturamento e essa empresa convidada pelo prefeito, senhor Audiberg, que na compra está roubando dos cofres públicos, saqueando mais de R$ 25 mil [somente nessa compra]. A compra custou R$ 94 mil e foi roubado R$ 25 mil", declarou, ou seja, o material teria custado na realidade, segundo ele, R$ 69 mil.
O vereador, inclusive, pediu ao secretário da sessão que colocasse tudo que estava dizendo em ata. Ivanilto completa a denúncia revelando que as empresas contratadas pelo prefeito são de faxada e só serve para vender nota. Isto porque elas só vivem fechadas, sem esquecer que uma delas [Comercial Fênix], onde a prefeitura gastou R$ 94 mil, na realidade, vende material de limpeza, como detergente, etc. Um escândalo de tamanha magnitude que deixou o líder da situação, vereador Ubiramar, além dos demais que integram a base, a exemplo do vereador Hélio do Bar, ambos do PTB, sem coragem e estímulo para defender o indefensável. Ambos engoliram à seco e ficaram sem ter como fazer o contraditório. Uma vergonha a cidade de Itaporanga estar passando por tantas denúncias de corrupção.

Segundo o vereador, além de estarem constantemente fechadas, a empresa aonde o prefeito licitou, por meio de carta convite, compra de cadernos, na realidade, vende material de limpeza, detergente, etc...
Falando sobre os processos de licitação, para ele fraudulentos, Ivanilto disse: "[...] O prefeito fez a carta  [modalidade convite] conluio, carta da imoralidade, da pouca vergonha... pra roubar, saquear o dinheiro dos cofres públicos. Onde em Itaporanga se encontra as mercadorias mais barato do que nessa empresa lá de João Pessoa". Ivanilto ainda ironiza o fato do prefeito Audiberg Alves (PTB) ter almejado tanto ascender ao cargo: "Já dizia o ditado popular 'quem nunca comeu mel, quando come se lambuza". 
"As acusações estão aí... R$ 25 mil roubados, saqueados dos cofres públicos", Voltou a exclamar Ivanilto. O vereador concluiu sua fala desafiando os vereadores da situação, olhando para os petebistas Ubiramar e Hélio do Bar, a provar o contrário e ninguém teve coragem para subir à tribuna e rebater o parlamentar. "Portanto, contra fatos não há argumentos. Está desmascarado. Está claro. Só quem não está vendo isso é o prefeito. Porque ele praticou o crime, tem culpa", disse.
Portanto, trata-se de uma denúncia da mais extrema gravidade que pode resultar na constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito - CPI para averiguar o assunto e assim, na pior das hipóteses, se abrir um processo de impeachment do prefeito. Itaporanga está envergonha com tanta corrupção encravada na administração municipal, denunciada constantemente durante sessões da câmara. O vereador disse que vai enviar mais essa denúncia para o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado. 
Triste situação que nos remete aos anos oitenta do século passado quando avalanche de malfeitos levaram o Tribunal de Justiça da Paraíba a decretar intervenção no município de Itaporanga, afastando do cargo o então prefeito João Franco da Costa [já falecido], que era natural de Diamante. De lá pra cá não se tem notícia de outro gestor, além do atual Audiberg Alves, que tenha sua gestão acusada de "roubar" e "saquear" os cofres públicos do município. O caso é sério e grave. 
O prefeito foi chamado de "ladrão" em plena sessão da câmara e o povo merece, no mínimo, respeito da parte do gestor com explicações minimamente convincentes.

3 comentários:

João Franco Netto disse...

Há uma série de erros na matéria. O ex-prefeito, João Franco da Costa, não foi afastado do cargo, ele renunciou após sofrer pressão política. O Tribunal de Justiça da Paraíba não condenou o ex-prefeito ao afastamento, pelo contrário, naquela Corte foi provada sua inocência. Não vou adentrar ao mérito, pois não é o momento oportuno. Apenas solicito a correção no artigo publicado, excluindo o comentário ao ex-prefeito João Franco da Costa, já que distorce a realidade dos fatos, em não o sendo serão adotadas as medidas judiciais cabíveis. É interessante apurar os fatos antes de divulgá-los.

Dr. João Franco Filho disse...

A mentira é o excremento da verdade, por conseguinte, o mentiroso é o excremento da sociedade, Portanto, é uma grande inverdade(MENTIRA) afirmar na matéria, ora comentada, de uma forma descabida e irresponsável que o digno DR. JOÃO FRANCO DA COSTA teve decretada pelo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba(TJEPB)intervenção na sua administração municipal nos idos dos anos 80 do século passado. Meu amado Pai(igualmente amado por muitos)já falecido (DR. JOÃO FRANCO - falecido aos 90 anos de idade), em sua honra e memória, tenho, ainda, a dizer que: ele sempre viveu preocupado com e pelo próximo, diferentemente, de muitos que só pensam e agem para cultivar o mau e alimentar a discórdia entre as pessoas. Não teve, como político (quando vivo ou agora já falecido), nenhuma condenação na Justiça dos homens, pois, com absoluta certeza, também não teve na Justiça de Deus. Espero correção na matéria. A verdade deve sempre prevalecer! Dr. João Franco da Costa Filho.

Eudinaildes Silva disse...

Acredito eu, que essa matéria não surpreendeu ninguêm tendo em vista que o prefeito não esta fazendo nada por itaporanga a não ser promessas falsas que isso sim ele sabe fazer muito bem.
Senhor prefeito se o senhor tivesse ganhado 5 reais por cada promessa enganosa que fez aos eleitores o senhor estaria milhonário.